Logotipo Unibanco Logotipo Itaú
Bem-vindo ao Itaú Unibanco
Mensagem
do Presidente
do Conselho
Mensagem
do Presidente
História
Perfil
Panorama
Visão de
Sustentabilidade
Governança
Corporativa
Caminho
da Integração
Negócios
Compromissos
e Práticas
Investimentos Sociais e em Cultura
Anexos

Compromissos e Práticas

Você terá informações sobre a participação do Itaú Unibanco em iniciativas externas para o desenvolvimento sustentável, além de conhecer as principais práticas de relacionamento com seus stakeholders.

  • Os instrumentos de gestão de pessoas
  • Os benefícios da associação para os clientes
  • Os canais de comunicação e as diretrizes de relacionamento com acionistas, fornecedores, imprensa e comunidade
  • Os investimentos em ecoeficiência e educação ambiental

SAIBA MAIS

> Conheça os principais cursos e as ferramentas de desenvolvimento oferecidos

SAIBA MAIS

> Conheça com mais detalhes os principais benefícios oferecidos pelos dois bancos

SAIBA MAIS

> Conheça outros programas de qualidade de vida oferecidos por Itaú e Unibanco em 2008

SAIBA MAIS

> Sobre os programas de valorização da diversidade desenvolvidos pelo Itaú e pelo Unibanco

57%

dos colaboradores do Itaú Unibanco são mulheres

3 mil

agências do Itaú Unibanco estão plenamente adaptadas para atender clientes com deficiência

46 mil

integrantes compõem a base de fornecedores do novo banco

A responsabilidade da liderança

O Itaú Unibanco, ao somar valores e atitudes das instituições que lhe deram origem, fortalece seus compromissos com o respeito aos direitos humanos, à responsabilidade socioambiental e à conduta ética. A associação aumenta, também, a responsabilidade do maior banco privado do Hemisfério Sul em liderar o setor financeiro mundial na promoção do desenvolvimento sustentável, por meio de seus serviços, processos, produtos e relacionamentos.

O banco usa instrumentos de monitoramento e prestação de contas alinhados com compromissos internacionalmente reconhecidos, como o Pacto Global, os Princípios do Equador, as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) e as normas AA1000 e SA8000.

As práticas de negócios observam os códigos de ética do setor financeiro e seguem, ainda, as tendências indicadas pelo Dow Jones Sustainability Index (DJSI) e pelo Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bolsa de Valores de São Paulo (ISE-Bovespa), entre outras referências de mercado.

Compromissos voluntários e representações

Princípios do Equador
- O Itaú e o Unibanco são signatários dos Princípios do Equador desde 2004.
Pacto Global
- Como integrantes do grupo de empresas que aderiram ao Pacto, o Itaú e o Unibanco comprometeram-se a adotar, em suas práticas de negócios, dez princípios básicos, nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho, proteção ao meio ambiente e combate à corrupção.
Carbon Disclosure Project (CDP)
- O CDP é uma iniciativa global, que tem como objetivo reportar a investidores os inventários de emissão de gases de efeito estufa de grandes corporações, informando sobre os riscos e as oportunidades ocasionados pelas mudanças do clima. Itaú e Unibanco são signatários e respondentes do CDP no Brasil. Em 2008, o Itaú tornou-se patrocinador da expansão para a América Latina.
Greenhouse Gas Protocol (GHG Protocol)
- O GHG Protocol é o padrão internacional para gerenciar as emissões de gases de efeito estufa (GEE). Itaú e Unibanco utilizam a metodologia do GHG Protocol em seus inventários, sendo o Itaú membro fundador da iniciativa no Brasil.
Fórum Latino-Americano sobre Finanças Sustentáveis (LASFF)
- Itaú e Unibanco participam das atividades do fórum – coordenado pela FGV (Fundação Getulio Vargas) –, desenvolvidas com o objetivo de fomentar as finanças sustentáveis na América Latina.
Unep – Finance Initiative
- O Itaú é signatário da Unep-FI, parceria global entre o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o setor financeiro, e participa da Task Force Latin America, com o intuito de auxiliar a disseminação de seu conteúdo e das práticas de finanças sustentáveis para outras instituições financeiras.
Institute of Social and Ethical Accountability
- Por meio da filiação ao instituto inglês, o Itaú Unibanco faz parte de uma rede global de empresas comprometidas com a sustentabilidade.
Todos pela Educação
- A Fundação Itaú Social faz parte do Conselho de Governança e é uma das organizações mantenedoras das ações do movimento, uma aliança da qual participam diversas empresas, entidades e institutos, com o objetivo de garantir a educação básica de qualidade para todos os brasileiros até 2022. O Instituto Unibanco também aderiu ao compromisso.
Pacto Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo
- O Itaú é signatário do pacto desde 2008, envolvendo sua cadeia de valor nos preceitos da iniciativa.
Princípios para o Investimento Responsável
- A Unibanco Asset Management (UAM) aderiu, em julho de 2008, aos PRI (Principles for Responsible Investment). Foi a primeira grande gestora de fundos de investimentos do Brasil a aderir aos princípios. A iniciativa, lançada em 2006, tem como objetivo incorporar aspectos sociais, ambientais e de governança corporativa na tomada de decisão de investimentos.
Grupo Referência em Estratégia de Sustentabilidade (Gres)
- O Itaú faz parte desse grupo, formado pelo Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, desde 2007. As empresas participantes do grupo buscam estruturar um programa de cooperação, para compartilhar conhecimentos e aprendizagem relacionados ao gerenciamento de metas e processos de gestão sustentável.
Centro de Referência em Sustentabilidade
- O Itaú e o Unibanco integram o Centro de Referência em Sustentabilidade da Fundação Dom Cabral, que promove estudos e debates sobre desenvolvimento sustentável. O Unibanco integra, ainda, o Centro de Desenvolvimento do Varejo Responsável, da mesma instituição, cujo propósito é gerar conhecimento voltado às empresas de varejo e às componentes de suas cadeias de suprimento.
Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil
- A Fundação Itaú Social integra o Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI), uma estratégia não governamental de articulação, mobilização e sensibilização da sociedade brasileira para a prevenção e a erradicação da exploração do trabalho realizado por crianças e adolescentes.
Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS)
- Itaú e Unibanco participam da Câmara Técnica de Finanças Sustentáveis (CTFIN), do CEBDS, cuja missão é contribuir para que as instituições financeiras assumam um papel ativo na promoção dos princípios do desenvolvimento sustentável.
Rede Social São Paulo
- A Fundação Itaú Social integra o Comitê Gestor da Rede Social São Paulo, uma aliança formada por mais de 100 organizações da sociedade civil, do setor empresarial e do governo, para enfrentar questões sociais que afetam o dia a dia da população. O primeiro desafio é aprofundar sua atuação no fortalecimento das redes de proteção à infância e juventude.
Fórum Amazônia Sustentável
- O Banco Itaú aderiu, em 2008, ao Fórum – um espaço de diálogo entre empresas, governos e organizações da sociedade civil para criar alternativas de desenvolvimento sustentável para a Amazônia.

Evolução da implantação da SA8000

O Banco Itaú iniciou, em 2008, o levantamento de dados e verificação nas áreas sobre o nível de adequação à norma SA8000 para o processo de certificação. A SA8000 é uma norma internacional que visa aprimorar o bem-estar e as boas condições de trabalho dos colaboradores.

Para a obtenção da certificação, a organização se submete a um processo criterioso e periódico de auditoria externa, realizado por um certificador credenciado e independente. A certificação, além de demonstrar o comprometimento da organização e dos gestores com a responsabilidade social, proporciona oportunidades de melhoria contínua dos processos, como saúde e segurança, diversidade, disponibilização de canais de comunicação, treinamentos, entre outros.

Os polos administrativos e a rede de agências deverão ser certificados até 2012. O primeiro prédio a ser certificado, em 2009, é a Torre Alfredo Egydio, em São Paulo.

Evolução da implantação da AA1000

Em 2006, o Itaú começou a implantar a AccountAbility 1000 (AA1000). Essa norma internacional de gestão, reconhecida como prática de excelência corporativa, estabelece critérios para os processos de levantamento de informações, de auditoria e de relato, com enfoque no diálogo com os públicos estratégicos.

O projeto tem a duração prevista de cinco anos, de 2006 a 2010, e está sendo implantado em três fases: a primeira destinada à aprendizagem da norma e as duas seguintes relacionadas à incorporação da norma no relacionamento com os públicos estratégicos.

O Itaú já concluiu as duas primeiras fases da implementação da AA1000: em 2007, encerrou o ciclo de aprendizagem e, em fevereiro de 2009, o primeiro ciclo de incorporação da norma. O banco disseminou a norma para um número maior de colaboradores, gestores e representantes de públicos estratégicos e multiplicou o número de experiências de engajamento e diálogo.

Os propósitos gerais foram desdobrados em seis objetivos,
concretizados por meio dos seguintes projetos ou processos:

Objetivos Projetos/Processos
Construir a infraestrutura de gestão
do processo AA1000
  • Matriz de Materialidade Itaú.
  • Sistema de mapeamento de públicos estratégicos.
  • Rodas de Diálogo.
  • Indicadores de relacionamento com públicos estratégicos.
Aprimorar políticas corporativas
  • Política de Sustentabilidade
  • Sistema Itaú de Integridade e Alinhamento.
  • Política de Riscos Socioambientais para o Crédito Pessoa Jurídica.
  • Política de Engajamento e Diálogo com Públicos Estratégicos.
  • Avaliação externa da Política Corporativa de Ética.
  • Política Corporativa de Combate à Corrupção e à Propina.
Desenvolver práticas de
engajamento e diálogo
  • Programa de Relacionamento com Fornecedores.
  • Programa de Relacionamento com a Mídia.
  • Adesão ao Código de Ética e Autorregulamentação do Probare (Programa Brasileiro de Autorregulamentação).
  • Adesão à norma SA8000 – Responsabilidade Social.
  • Programa de Treinamento de Vigilantes.
  • Programa de Disseminação da Norma AA1000.
Legitimar, nos moldes da AA1000, alguns canais de comunicação
  • Avaliação do Relatório Anual e do Balanço Social: 2005 a 2008.
  • Pesquisa Fale Francamente: Clima Organizacional.
  • Assembleia Geral de Acionistas.
  • Reuniões da Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais).
  • Teleconferências com investidores.
  • Monitoramento da mídia (clippings).
Documentar as principais rotinas
de relacionamento do Itaú
  • Documentar as rotinas de relacionamento do Itaú.
Planejar a 3.ª fase
  • Planejar a 3.ª fase do projeto de implantação da AA1000.

Correlação das ações do Itaú Unibanco com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

O Itaú Unibanco procura contribuir para que o Brasil cumpra os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (veja quadro), uma iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU). Os 189 países signatários comprometeram-se a atingir, até 2015, condições mínimas para o desenvolvimento sustentável.

Itaú Unibanco

"Acabar com a fome e a miséria"
Itaú: Fundação Itaú Social, investimentos sociais do Banco Itaú e do Banco Itaú BBA, Programa Itaú Criança.

Unibanco: Instituto Unibanco.
Educação básica de qualidade para todos
Itaú: Fundação Itaú Social, investimentos sociais do Banco Itaú e do Banco Itaú BBA, Programa Itaú Criança.

Unibanco: Instituto Unibanco (projetos próprios: Jovem de Futuro; Entre Jovens; Jovens Aprendizes; e Centro de Estudos Tomaz Zinner).
Igualdade entre sexos e valorização da mulher
Itaú: Política de Gestão de Pessoas, Programa de Diversidade Corporativa.

Unibanco: Política de Diversidade.
Reduzir a mortalidade infantil
Itaú: Programa Itaú Criança.
Melhorar a saúde das gestantes
Itaú: Programa Saúde da Mulher.

Unibanco: Programa Gestantes.
Combater a Aids, a malária e outras doenças
Itaú: Programa de Prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis/Aids, Programa Momento Saúde.

Unibanco: campanhas de saúde dos colaboradores.
Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente
Itaú: Programa Momento Saúde, Campanha Plante a Primavera, campanhas voltadas para o uso racional de recursos naturais, critérios socioambientais para a concessão de crédito.

Unibanco: Programa Fique Ok; Rede Parceiros pela Natureza – CEAs.
Todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento
Itaú: adesão aos Princípios do Equador, critérios socioambientais para a concessão de crédito, Programa de Apoio ao Microcrédito, comercialização de produtos socialmente responsáveis.

Unibanco: compromisso Todos pela Educação, Princípios do Equador, Microcrédito e comercialização de produtos socialmente responsáveis.

Colaboradores

União de talentos

O Itaú Unibanco vive um momento único, com grandes oportunidades de crescimento em seus negócios, fruto de uma trajetória de sucesso, que todos os colaboradores, com muita responsabilidade e esforço, ajudaram a construir, ao longo dos últimos anos.

Grandiosos desafios estão pela frente, mas, com competência, dedicação, respeito aos valores éticos, qualidade nas decisões, eficiência e agilidade, o crescimento poderá ir muito além da soma das forças de Itaú e Unibanco, refletindo cada vez mais no espírito de uma equipe altamente integrada e de alta performance.

No fechamento deste relatório, o banco estava em plena fase de mapear e comparar as políticas, as práticas, os processos e os sistemas de gestão de pessoas das duas instituições agora unidas, o que tem mobilizado as equipes. A partir da identificação das melhores práticas e da soma das competências, um novo modelo de gestão de pessoas será construído para o Itaú Unibanco.

As equipes preparam-se para formar um time com potencialidades múltiplas, fundamentais para a consolidação do processo de integração. Unidas, fortalecerão ainda mais a estratégia de liderança de negócios, tornando a organização um polo de atração, desenvolvimento e retenção de talentos.


Quem faz o Itaú Unibanco

O Itaú Unibanco reúne 108.027 colaboradores no Brasil, 71.354 provenientes do Itaú e 36.673 provenientes do Unibanco, que compõem um grupo capaz de gerar mais valor do que a simples soma de suas competências individuais.

Categoria funcional*

Itaú Unibanco 2008  
Diretores estatutários 198
Gerência 14.781
Administrativo 50.111
Produção 42.647
Estagiários** 1.350
Colaboradores no exterior*** 488
Trainees** 178
Aprendizes 2.371
* Foram consideradas todas as empresas da Holding.
** Empresas consideradas: Banco Itaú, Itaucor, Itaucred, Itauprev, Itaú Leasing, Orbitall, Fic, Fai, Facilita, Trishop, Itauseg, Icarros, DTVM, Kinea, Itaú Adm. Consórcio, Itauseg Saúde, Itaú XL, Finaustria Assess., Fina. Prom., Total Serviços, Financeira Itaú, Itaú Holding, BIC, Banco Itaucard, Banco Fiat e conglomerado Unibanco.
*** Funcionários do Itaú no exterior já distribuídos em gerência, administrativo e produção

Colaboradores em
todas as regiões do Brasil*

Itaú Unibanco 2008  
Sul 9.301
Sudeste 82.025
Centro-Oeste 3.911
Nordeste 6.228
Norte 1.188
* Foram considerados os 36.185 funcionários do conglomerado Unibanco e os 66.468 funcionários do Itaú, excetuando as fundações
Membros da alta gerência
recrutados nas comunidades locais
10.872
Total de membros da alta gerência 13.523
Proporção 80,40

 

Carreira

Atração e retenção

O Itaú Unibanco valoriza e incentiva a diversidade, atraindo profissionais de diferentes formações, raças, opiniões e culturas, que contribuem para o contínuo desenvolvimento da organização, compondo equipes de especialistas das mais diversas áreas de atuação, além de um ambiente com perspectivas reais de crescimento profissional e pessoal.

Não medir esforços na retenção de talentos de cada uma das instituições é o principal objetivo do Itaú Unibanco. Durante o processo de integração, o aproveitamento de colaboradores permitirá a reorganização das áreas, para atender à estratégia dos negócios.

Em 2008, os dois bancos mantiveram programas semelhantes de atração de colaboradores e de jovens talentos.

Conheça algumas das melhores práticas de recrutamento interno e externo e de valorização de colaboradores desenvolvidas pelo Itaú e pelo Unibanco, ao longo de 2008.

Ações de desenvolvimento

Programa Oportunidades de Carreira (POC)
- O programa prioriza a seleção de colaboradores para ocupar as oportunidades de trabalho que surgem no Itaú. Os principais objetivos são a valorização do profissional interno, a possibilidade de crescimento e desenvolvimento profissional, a retenção de talentos e a participação ativa do colaborador na construção de sua carreira. A média mensal de inscrições no programa é de 3.250, para 800 vagas publicadas, tendo sido efetuadas 273 transferências.
Programas de Formação
- Específicos para algumas áreas de negócio do Itaú, os programas de formação contam com mais de 90 participantes. Os objetivos desses programas são atrair e desenvolver profissionais de alto potencial, tornando-os especialistas em determinados negócios. Os profissionais contratados são jovens recém-formados, que adquirem conhecimentos das áreas de Tecnologia da Informação, Mercado de Capitais, Comercial, e Seguros e Previdência. Foram realizadas 74 contratações para esses programas. Em 2008, o Unibanco formou 119 gerentes gerais, sendo que 50% foram colaboradores internos e o restante, proveniente do mercado, dos mais diversos segmentos, e também formou 193 gerentes de atendimento, sendo 100% internos (promoções). Os programas de formação do Unibanco visam capacitar o colaborador para o exercício da função, bem como trabalhar temas que ampliem a visão de negócio.
Programa de Estágio Summer Job
- Ambos os bancos mantêm um programa voltado para estudantes que não podem realizar estágio durante o ano letivo. Desde 2005, quando o programa foi criado pelo Itaú, foram contratados 116 estudantes – 62 deles no ano de 2008. O Unibanco atraiu estudantes de renomadas instituições de ensino do Brasil e do exterior e trouxe, em 2008, estagiários que desenvolveram projetos nas áreas de riscos, research e asset management.
Jovens Talentos
- Em 2008, o Itaú realizou 18 eventos em universidades brasileiras, com mais de 60 mil visitantes. O banco também promoveu, pela primeira vez, oito eventos em universidades americanas, com o objetivo de atrair talentos diferenciados.

Em 2008, o Unibanco continuou com uma frente de relacionamento com as principais universidades. No total, o banco participou de feiras de recrutamento em 13 das principais universidades brasileiras. Além disso, foram patrocinados alguns eventos relevantes, em instituições ligadas ao ensino, bem como em universidades americanas, para atração de talentos.

Programa Trainee
- De formação generalista, conta, atualmente, com mais de 100 trainees, nas diversas áreas de negócios, que participam de treinamentos técnicos e comportamentais. Em 2008, foram realizadas 50 contratações pelo programa do Itaú. No Unibanco, foram contratados 88 trainees, nas diversas áreas de negócio e suporte. Durante o ano, eles participaram de palestras com executivos, visitas orientadas, treinamentos técnicos e comportamentais. Além disso, todos os trainees possuem mentores, executivos do conglomerado que os auxiliam no acompanhamento de suas carreiras e os orientam em sua formação acadêmica.
Programa de Estágio
- Com duração máxima de dois anos, possibilita aos estudantes conhecer os valores e as práticas das empresas. No Itaú, o programa de estágio regular possibilita aos estudantes conhecer a cultura, os valores e as práticas da organização, enquanto apoiam a condução dos diversos processos e projetos das áreas de negócios. Em média, são efetivados 60% dos estagiários. Em 2008, o Itaú recebeu 669 novos estagiários. O programa de estágio do Unibanco também engloba treinamentos a distância e presenciais. Os estagiários desenvolvem um projeto de conclusão e o apresentam para uma banca avaliadora. No ano de 2008, houve um aumento do índice de efetivação dos estudantes em relação a 2007. Do total de 351 estagiários, 169 foram efetivados, em 2008, ou seja, 48%. Em 2007, havia 355 estagiários. Destes, 150 – 42% – foram incorporados ao quadro da empresa.
Programa de Aceleração de Talentos
- Programa de formação do Unibanco, que visa mapear, selecionar e preparar gerentes identificados como talentos potenciais para assumir novos desafios no conglomerado. São 77 participantes ativos no programa. Em 2008, foram realizados módulos de treinamento comportamental focados nas competências de liderança: “visão estratégica”, “comunicação eficaz”, “formação e inspiração de equipes” e “liderar a si mesmo”.

Desligamentos e taxa de rotatividade, em 2008, no Itaú Unibanco, por gênero e faixa etária

Faixa etária Desligamentos Turnover
Até 29 anos 3.387 10,92%
De 30 a 49 anos 2.986 6,58%
Acima de 49 anos 467 8,49%
Obs.: empresas consideradas: Banco Itaú, Itaucor, DTVM, Pro-Imóvel, Kinea, Itaú Holding, Itaú BBA, Icarros, Orbitall, Itaú Adm. Consórcio, Banco Itaucard, Banco Fiat, Banco Itaucred, SFR, BIC, Unibanco – União de Bancos Brasileiros S.A., UAM – Assessoria e Gestão de Invest Ltda, Hipercard Banco Múltiplo S.A., Unicard Banco Múltiplo S.A., Investshop Corret. Val. Mob. C/ S.A, Megabonus, Unibanco Asset Management S/A DTVM, Unibanco Consultoria de Invest. Ltda, Unibanco Serviços de Invest Ltda., Unibanco Proj. e Consult. de Invest. Ltda.
Desligamentos Turnover
Geral 6.840 8%
Gênero Desligamentos Turnover
Homens 3.361 9%
Mulheres 3.479 8%

Ações de valorização

Prêmio Walther Moreira Salles
- Reconhece as melhores iniciativas dos colaboradores do Unibanco e é dividido em sete categorias: Inovação, Sinergia, Qualidade, Eficiência, Geração de Negócios, Gestão de Pessoas e Sustentabilidade, esta criada em 2008. Os premiados de cada categoria recebem ações do Unibanco pelo resultado conquistado e têm suas práticas disseminadas na empresa.
Programa de Sócios
- Permite aos executivos com desempenho diferenciado adquirir ações do Unibanco e receber uma contrapartida financeira do banco, também em ações. Metade delas fica disponível para venda no prazo de três anos, e a outra metade, em cinco anos. O ano de 2008 fechou com 65 executivos no programa.
Programa Atitude de Valor
- Premia atitudes dos colaboradores que geram melhoria de processos para os clientes ou resultados mensuráveis para o Unibanco. O programa já recebeu mais de 5.700 inscrições e premiou 813 colaboradores, sendo 36 com uma bolsa de estudos no valor de R$ 10 mil.
Programa Atendimento Estrela
- Tem por objetivo valorizar as iniciativas individuais e das equipes do Itaú com bom desempenho no atendimento e inspirou a implementação de melhorias que evitam a repetição de problemas. Em 2008, foram analisados mais de 2.839 casos da Administração Central e da Rede de Agências, sendo que mais de 2.060 colaboradores e 35 agências foram reconhecidos. Evidenciando a grande motivação e o envolvimento das equipes, 97 colaboradores ganharam uma viagem nacional, com acompanhante.

Treinamento e capacitação

Juntos, Itaú e Unibanco investiram, em 2008, cerca de R$ 130 milhões em programas de formação, capacitação e desenvolvimento de seus colaboradores.

A Escola Itaú de Negócios está sendo desenvolvida para atuar como um centro de excelência em desenvolvimento de pessoas, para garantir a liderança em performance e a perenidade dos negócios. A escola contribuiu para a manutenção da certificação ISO 9001, conquistada desde 2006. Atualmente, são oferecidos aos colaboradores de todos os níveis e áreas da organização 452 cursos, presenciais e a distância.

Dentre os vários desafios para 2009, destaca-se o primordial apoio da Escola na estratégia de desenvolvimento, com ênfase nas competências essenciais e nas necessidades futuras dos negócios do Itaú Unibanco. No Itaú, 1.543 gestores e especialistas também participaram das Trilhas de Desenvolvimento de Liderança, que visam à capacitação e à preparação para ascensão na carreira. Os profissionais tiveram acesso, ainda, às Soluções de Aperfeiçoamento, com o objetivo de aprofundar o conhecimento sobre temas importantes para a organização.

O Currículo de Conhecimento, lançado, em 2007, pelo Unibanco, identifica habilidades, mapeia os conhecimentos necessários para atuar em diferentes funções e, com base em um diagnóstico, prepara uma série de treinamentos. Atualmente, 100% das áreas e das unidades de negócio já estão com seus currículos desenvolvidos.

Os conhecimentos necessários para o exercício de cada função são mapeados, por meio de entrevistas com diretores, superintendentes e gerentes, com o objetivo de identificar os principais desafios de curto e longo prazos, e por meio de grupos de discussão com representantes de diversas áreas.

Os dois bancos têm programas de formação no exterior para gestores. O programa MBA Executivo do Unibanco permitiu ao próprio colaborador inscrever-se no processo seletivo, levando em conta os critérios de avaliação de performance e tempo de trabalho na organização. A segunda turma do programa formou, em 2008, 22 executivos. No mesmo ano, a terceira turma, composta por 35 executivos, iniciou as aulas. O Unibanco indicou, ainda, colaboradores para cursar MBA em algumas das mais renomadas escolas do mundo. Já o Programa A, do Itaú, apoia integralmente os colaboradores que apresentam alto potencial de desenvolvimento para a realização de curso de mestrado e especialização em escolas e universidades renomadas no exterior. Desde o início do programa, em 1983, foram formados 152 colaboradores.

O Programa G, por sua vez, foi criado em 1999, para apoiar integralmente colaboradores com alto potencial de desenvolvimento em gestão de negócios ou de pessoas na realização de cursos de MBA ou mestrado em instituições brasileiras. Foram formadas 72 pessoas, desde o início do programa.

Os MBAs in company realizados pelo Itaú buscam complementar e aprimorar a formação de profissionais que atuam em áreas ou processos que exigem o domínio de conhecimentos, habilidades e técnicas relacionados a temas específicos. Em 2008, o banco formou três turmas, com 91 participantes, e iniciou outras duas turmas, com 59 participantes.

Média de horas de treinamento por
colaborador, em 2008 – Itaú Unibanco

Categoria funcional
Diretoria* 9,33
Gerência 20,97
Administrativo 21,37
Produção 15,62

* Em 2008, os diretores estatutários do Itaú
não passaram por treinamento

Educação a distância

Por meio do Clique Conhecimento, foram registrados, aproximadamente, 551 mil acessos, em 2008, de colaboradores do Unibanco que buscaram treinamentos a distância para o desenvolvimento da carreira. No Itaú, houve 365 mil inscrições para 419 programas, ao longo do ano.

Dando continuidade ao treinamento a distância para atendimento diferenciado a pessoas com deficiência, desenvolvido em parceria com a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), que, em 2007, envolveu a participação de 17.990 colaboradores, foi implementado um treinamento e-learning para todos os colaboradores da Orbitall, em 2008. O treinamento visa proporcionar conhecimento sobre como gerir uma equipe com pessoas com deficiência, como atender e se relacionar com clientes com deficiência, além de apresentar informações sobre a legislação brasileira relacionada ao tema.

Performance e Feedback

O Itaú Unibanco conta com ferramentas adequadas para que colaboradores e gestores possam estabelecer suas metas pessoais, alinhadas à estratégia da empresa.

Em 2008, o Itaú manteve a utilização do modelo de avaliação 360º para mensurar o desempenho e o potencial de superintendentes, gerentes e supervisores. A ferramenta dá diretrizes sobre as metas que devem ser alcançadas pelos colaboradores e pode ser utilizada na definição da remuneração variável. Já o Diálogo de Desenvolvimento contempla todos os colaboradores não considerados pelo modelo de Gestão Integrada de Performance e Potencial (GIPP). Por meio do diálogo, o gestor apresenta ao colaborador oportunidades de melhoria e, juntos, definem ações de desenvolvimento, como treinamentos e cursos. Em 2008, cerca de 17.400 colaboradores foram avaliados pelo GIPP e 40.200 colaboradores, pelo Diálogo de Desenvolvimento.

O Itaú ainda conta com os seguintes programas e ferramentas de desenvolvimento: Assesment Center, ferramenta de avaliação baseada nas competências corporativas; Coaching, com foco no desenvolvimento de líderes; e Leadership Review, para avaliação dos diretores do Banco.

No Unibanco, os programas e as ferramentas de desenvolvimento têm por objetivo auxiliar a construção de um ambiente interno voltado ao aprimoramento e reconhecimento de seus colaboradores, bem como o crescimento constante da performance organizacional e do indivíduo, tendo em vista as necessidades do negócio e as expectativas do colaborador. Tais ferramentas buscam analisar o momento de carreira dos principais executivos do conglomerado, com foco no potencial e no desempenho de seus colaboradores. Os principais programas e ferramentas de desenvolvimento são: Planejamento Estratégico de Pessoas (PEP) e Mentoring.

O sistema de avaliação, no Unibanco, incluiu contratação de metas, avaliação de desempenho e feedbacks periódicos.

A cada semestre, o profissional e seu gestor direto estabelecem metas, que devem ser atingidas pelo colaborador no período. Após o encerramento do semestre, um comitê reúne-se para análise da atuação do profissional em relação às metas propostas. Em 2008, cerca de 36 mil colaboradores tiveram seu desempenho avaliado. A análise de desempenho está atrelada à remuneração variável e à concessão de bolsas de pós-graduação, entre outros benefícios. As melhores performances têm prioridade na remuneração variável.

No total, 99% dos colaboradores do Itaú Unibanco receberam avaliação de desempenho (empresas consideradas: Banco Itaú, Itaucor, Itaucred, Itauprev, Itaú Leasing, Orbitall, Fic, Fai, Facilita, Trishop, Itauseg, DTVM, Kinea, Itaú Adm. Consórcio, Itauseg Saúde, Itau XL, Finaustria Assess, Fina, Total Serviços, Financeira Itaú, Itau Holding, BIC, Banco Itaucard e conglomerado Unibanco, exceto as empresas no exterior).

Remuneração

Relação entre o menor salário e o salário mínimo, em 2008 – Itaú Unibanco

Menor salário 476,86
Salário mínimo vigente 415
Proporção 1,15

Obs.: foi considerado o menor salário entre as duas organizações que formam o Itaú Unibanco (promotor de vendas)

Para definir a remuneração de seus colaboradores, o Itaú Unibanco utiliza diversas ferramentas de gestão e pesquisas e acompanha as práticas de mercado. A remuneração total é composta pela remuneração fixa, ou seja, o valor estipulado, de forma contratual, pela empresa, com base em dispositivos legais, convenções e acordos trabalhistas, e pela remuneração variável, que ocorre em forma de incentivo, relacionada ao cumprimento de metas.

O Itaú tem como estratégia de remuneração o foco na remuneração variável, permeando cada vez mais uma Cultura para Performance em todos os níveis da organização. Dessa forma, a remuneração é adaptada a cada segmento do banco, visando suportar a estratégia de crescimento e manter-se competitiva nos mercados específicos.

No Unibanco, a remuneração variável esteve atrelada ao desempenho de cada colaborador, medido no processo de avaliação de performance. A empresa contava com cinco modelos de remuneração variável, para os diferentes cargos e áreas.

Bem-estar

Benefícios

O Itaú Unibanco, por meio de um amplo pacote de benefícios, prioriza um ambiente saudável e com condições adequadas ao pleno desenvolvimento das atividades profissionais. Os diversos benefícios sociais proporcionados aos colaboradores e seus dependentes totalizaram R$ 1,4 bilhão, em 2008.

Em complementação ao processo de integração entre Itaú e Unibanco, desde dezembro de 2008, alguns benefícios foram disponibilizados para colaboradores de ambas as empresas. Colaboradores do Itaú passaram a obter os descontos em salas de cinema do Unibanco, assim como colaboradores do Unibanco passaram a usufruir das instalações e das atividades da Fundação Itauclube.

Alguns benefícios são negociados em convenção coletiva de trabalho, como o auxílio-creche babá, o auxílio-funeral, o auxílio-refeição e o auxílio-alimentação. Vários outros benefícios são de desenvolvimento exclusivo da organização, tais como: complementação do auxílio-doença previdenciário e acidentário; empréstimo social; financiamento de veículos com condições diferenciadas; orientação via serviço social; plano médico e odontológico familiar; planos de previdência privada complementar; política de crédito a colaboradores; seguros de vida e de acidentes pessoais.

Qualidade de vida

Conheça, a seguir, alguns dos programas de qualidade de vida oferecidos pelo Itaú e pelo Unibanco, em 2008.

  • Programa Momento Saúde: é o carro-chefe da educação para a saúde dos colaboradores e utiliza diversos canais de informações do Itaú. Conta com cinco produtos: um folheto de distribuição mensal aos colaboradores, que, em 2008, atingiu o número de 700 mil; CD: versão em áudio do folheto, enviada aos deficientes visuais, com distribuição de 615 CDs, em 2008; intranet: no site Qualidade de Vida, que teve mais de 100 mil acessos no ano, são publicadas quatro reportagens por mês; mural: as matérias divulgadas na intranet são resumidas e transformadas em mural, enviadas, mensalmente, às agências e PABs, tendo sido publicados, em 2008, 37 mil murais; evento: de caráter lúdico e interativo, evento trimestral, que ocorre nos polos administrativos de São Paulo e, anualmente, em Belo Horizonte, Curitiba e Rio de Janeiro, tendo participado, no ano, cerca de 2 mil pessoas.
  • Programa Fique OK e Programa ComTato: os programas, desenvolvidos, respectivamente, por Unibanco e Itaú Holding, têm o objetivo de dar suporte aos colaboradores e seus dependentes para enfrentar situações adversas, na vida pessoal ou na carreira, por meio de um serviço de atendimento. O Fique Ok fornece orientações sobre aposentadoria e procedimentos em caso de acidente ou morte. Por meio de uma rede credenciada, presta atendimento psicológico, serviço social, jurídico, nutricional, fonoaudiológico, terapia ocupacional e fisioterápico e disponibiliza informações sobre condicionamento físico, atividades esportivas, cuidados com higiene e orientação financeira. O programa também dá suporte ao colaborador licenciado. Em 2008, 40.559 pessoas foram atendidas pelo programa do Unibanco. O Programa ComTato, por sua vez, oferece atendimento por psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, profissionais de educação física, psicopedagogos, advogados, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos e psiquiatras, que prestam orientação gratuita, pelo 0800 e por meio de uma rede credenciada de profissionais. Em 2008, foram mais de 38 mil ligações ativas e receptivas, sendo a psicologia a especialidade mais procurada. A rede de agências representa 66,17% do total de utilização, e os polos administrativos respondem por 33,83% dos atendimentos.
  • Programas de exames preventivos: no Viva Melhor, do Unibanco, a novidade, em 2008, foi a contratação de uma consultoria médica para o mapeamento do perfil de saúde dos colaboradores. A intenção é auxiliar no diagnóstico precoce de doenças cardiovasculares, diabetes, câncer de mama e de próstata, osteomusculares relacionadas ao trabalho (LER/Dort), entre outras. Já o Check-up Executivo, oferecido pelo Itaú, oferece aos executivos um check-up anual 100% subsidiado pela empresa. Trata-se de um programa completo, com avaliação médica de diferentes especialidades e exames complementares clínicos e de imagem, em centros conceituados pelo mercado.
  • Programa de Reabilitação Profissional: busca a prevenção da incapacidade para o trabalho, causada, na maioria dos casos, por LER/Dort. O programa do Itaú tem como objetivo, também, a reintegração dos funcionários afastados devido a essas doenças. Houve redução do percentual de licenciados de 4,1%, em dezembro de 2004, para 2,42%, em dezembro de 2008, o que representa uma queda de 35% no número de licenciados e um aumento de 1,66% do efetivo trabalhando. Com base no número de colaboradores em julho de 2007, esse percentual corresponde a mais 780 colaboradores em atividade, o que tem evidente impacto na produtividade. Adaptando a metodologia utilizada nos estudos realizados pela International Social Security Association, o critério utilizado para considerar um caso como sucesso foi o colaborador não estar licenciado na Previdência Social, por motivo de doença (auxílio-doença ou auxílio-doença acidentário), após 12 meses de acompanhamento, considerando o momento inicial a inclusão no Programa. Atualmente, essa taxa de sucesso é de 80%, resultado comparável aos melhores obtidos em âmbito mundial.

Saúde e segurança no trabalho

Empregados representados em comitês formais de saúde e segurança, em 2008 - Itaú Unibanco

Cipas Itaú Unibanco
Colaboradores 101.614
Representados 38.368
% 37,76%

Garantir condições de trabalho adequadas e o bem-estar dos colaboradores, por meio de padrões de saúde e de segurança ocupacional, é um dos objetivos do Itaú Unibanco.

No Itaú Holding e no Unibanco, em 2008, 56.438 colaboradores foram vacinados contra a gripe. No Unibanco, 2.010 colaboradores foram vacinados contra a rubéola – o Itaú, por sua vez, apoiou a campanha da rede pública de vacinação contra a rubéola.

No ano de 2008, o Unibanco investiu aproximadamente R$ 250 mil na reforma do ambulatório do Centro Administrativo Unibanco (CAU), incluindo a troca de mobiliário e de macas.

Sob o aspecto da segurança, o Unibanco realizou oito apresentações, estimando que mais de 10 mil colaboradores participaram dessas apresentações, durante a Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat). Os temas abordados foram reeducação postural, prevenção de acidentes do trabalho, direção defensiva e técnicas de relaxamento.

Indicadores de saúde e segurança ocupacional

Lesões
Itaú Unibanco
Total de lesões 531 629
Horas trabalhadas 163.464.771 104.869.200
Índice de lesões 0,65 1,20

Premissas Unibanco: consideram-se todos os afastamentos por acidente de trabalho (típicos, doença ocupacional e trajeto) maiores que 15 dias. Para o total de horas trabalhadas, foram considerados todos os colaboradores do conglomerado. Não foram considerados casos de óbitos por acidente de trabalho. Premissas Itaú: licenciados por motivo de doença ocupacional, acidentes típicos/trajeto e outras doenças ocupacionais. Considera todas as empresas do conglomerado. Tiveram início de licença menor ou igual a 31/12/2008. Tiveram data fim de licença entre 01/01/2008 e 31/12/2008, ou data fim em branco (encontra-se afastado)


Doença ocupacional
Itaú Unibanco
Total de casos 421 519
Horas trabalhadas 163.464.771 104.869.200
Índice de doença 0,52 0,99

Premissas Unibanco: consideram-se todos os afastamentos por acidente de trabalho e por doença ocupacional maiores que 15 dias. Para o total de horas trabalhadas, foram considerados todos os colaboradores do conglomerado. Não foram considerados casos de óbitos por acidente de trabalho. Premissas Itaú: licenciados por motivo de doença ocupacional, acidentes típicos/trajeto e outras doenças ocupacionais. Considera todas as empresas do conglomerado. Tiveram início de licença menor ou igual a 31/12/2008. Tiveram data fim de licença entre 01/01/2008 e 31/12/2008, ou data fim em branco (encontra-se afastado)

  Dias perdidos
Itaú Unibanco
Total de dias 200.312 120.605
Horas trabalhadas 163.464.771 104.869.200
Índice de dias perdidos 245,08 230,02

Premissas Unibanco: considera-se ano com 365 dias e todos os afastamentos por acidente de trabalho (típicos, doença ocupacional e trajeto) maiores que 15 dias, de todas as empresas do conglomerado. Premissas Itaú: Licenciados por motivo de doença ocupacional, acidentes típicos/trajeto e outras doenças ocupacionais. Considera todas as empresas do conglomerado. Tiveram início de licença menor ou igual a 31/12/2008. Tiveram data fim de licença entre 01/01/2008 e 31/12/2008, ou data fim em branco (encontra-se afastado)


  Absenteísmo
Itaú Unibanco*
Total de faltas 103.153 ND
Horas trabalhadas 12.535.638 ND
Índice de absenteísmo 0,82 ND

Obs.: consideram-se todas as ausências do trabalho por qualquer incapacidade, não apenas resultante de lesão ou doença ocupacional relacionada ao trabalho, e, para os dias trabalhados, consideram-se todos os colaboradores do conglomerado. Empresas consideradas: Banco Itaú, Itaucor, Itaucred, Itauprev, Itaú Leasing, Orbitall, Fic, Fai, Facilita, Trishop, Itauseg, Icarros, DTVM, Kinea, Itaú Adm. Consórcio, Itauseg Saúde, Itau XL, Finaustria Assess, Fina, Total Serviços, Financeira Itaú, Itau Holding, BIC, Banco Itaucard

*O acompanhamento do Unibanco não registra as horas/dias perdidos por motivos de consultas médicas e odontológicas inferiores a 15 dias, causando, assim, uma distorção nas taxas de absenteísmo. Por isso, os números não são divulgados

Ambiente de trabalho

Clima organizacional

Para garantir um bom ambiente de trabalho aos seus profissionais, o Itaú Unibanco investe na Gestão de Clima Organizacional. No Itaú, uma das ferramentas adotadas é a pesquisa Fale Francamente, aplicada a cada dois anos, que possibilita conhecer a opinião dos colaboradores sobre o dia a dia no trabalho. Realizada em 2007, a pesquisa voltará a ser aplicada em 2009.

A pesquisa de aderência ao Modo Itaú de Fazer (MIF) objetiva trazer feedback para os avaliados e subsidiar ações para seu desenvolvimento. A pesquisa, aplicada anualmente, possibilita conhecer o grau de alinhamento de nossos líderes aos oito princípios do MIF. São eles: Performance, Valores Humanos, Feedback, Motivação, Equipe, Melhoria Contínua, Satisfação de Clientes e Celebração. Em 2008, abrangeu líderes do Banco Itaú e coligadas, no Brasil e no exterior (NY Branch, NY Securities, BIE, Biel, Japão, Argentina, Uruguai e Chile).

No Unibanco, a pesquisa de clima organizacional, realizada anualmente, tem contribuído para promover iniciativas de melhorias concretas para as equipes. Divulgado em junho de 2008, o questionário foi enviado a 32.857 profissionais, que estavam há mais de três meses na instituição. Foram obtidas 27.636 respostas, o que representa uma taxa de participação de 84%. De acordo com o levantamento, 76% dos colaboradores afirmaram estar satisfeitos com o Unibanco, 71%, com a área de trabalho, e 72%, motivados com o Unibanco. Dos respondentes, 86% recomendariam o Unibanco como uma empresa para trabalhar. Entre os atributos mais importantes para a satisfação e motivação dos colaboradores, estão a compreensão da missão e dos objetivos do Unibanco, a imagem da empresa no mercado, os benefícios oferecidos e a prática, pelos gestores, de ações condizentes com as diretrizes do banco.

Desde a união de Itaú e Unibanco, o clima de trabalho entre os colaboradores é monitorado, para que permaneça a motivação em todas as etapas do processo de integração.


Investindo na saúde da mulher

As colaboradoras do Itaú têm à disposição uma sala de apoio ao aleitamento materno e recebem livros sobre os cuidados com o bebê. A instituição também promove cursos para gestantes, os quais, em 2008, beneficiaram 744 mulheres e seus parceiros. Nesse período, 952 colaboradoras realizaram exames e consultas preventivos. Destaca-se o recente lançamento, no Brasil, da vacina contra o HPV (papiloma vírus humano), que é muito eficaz na prevenção do câncer de colo de útero. O Itaú realizou campanha pioneira, no meio financeiro, para vacinação das colaboradoras até 26 anos, com substancial subsídio da empresa. No total, 2.947 colaboradoras e aprendizes foram beneficiadas com a vacina, 27% da população elegível.

Melhores empresas para trabalhar

Em 2008, Itaú e Unibanco integraram a lista das melhores empresas para trabalhar. A pesquisa do Guia FIA Você S/A-Exame constatou que 83,9% dos colaboradores do Unibanco se identificavam com a empresa, 75,8% estavam motivados e 81,8% aprovavam os seus líderes.

No Banco Itaú, 85,9% dos colaboradores afirmaram que se identificavam com a empresa, 77% disseram estar motivados e 80,6% responderam que aprovavam os seus líderes.

Na Itaucred Veículos, 89,9% dos colaboradores disseram que se identificavam com a empresa, 81,7% dos colaboradores declararam estar satisfeitos e motivados e 84,4% dos colaboradores afirmaram aprovar seus líderes. Já na empresa Taií, 85,9% dos colaboradores informaram que se identificavam com a empresa, 80,9% dos colaboradores relataram estar satisfeitos e motivados e 85,1% dos colaboradores destacaram que aprovavam seus líderes.

Relações sindicais

O relacionamento do Itaú Unibanco com todas as entidades sindicais representantes de seus colaboradores é cultivado de maneira estruturada e transparente. A atuação do banco ocorre de acordo com as convenções n.º 87 e n.º 98, contidas nos princípios e direitos previstos pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), que garantem liberdade sindical, proteção do direito de sindicalização e de negociação coletiva, livre funcionamento, sem ingerência das autoridades.

O banco assegura aos empregados sindicalizados que não sofrerão atos de discriminação por sua filiação ao sindicato. A empresa cumpre a convenção coletiva de trabalho, permitindo às entidades sindicais a realização de campanha de sindicalização em todas as suas unidades. Da mesma forma, reconhece as prerrogativas dos colaboradores eleitos para o cargo de dirigentes sindicais das entidades sindicais que os representam.

As convenções coletivas de trabalho, firmadas, anualmente, pelas entidades sindicais profissionais e patronais, contemplam 100% dos colaboradores da empresa.

No ano de 2008, o Itaú realizou 68 reuniões com as diversas entidades sindicais, comissão de empregados e associações de aposentados que representam os colaboradores das operações no Brasil.

O Unibanco lançou, em novembro de 2008, sua Política de Livre Associação Sindical e também intensificou o relacionamento com o Sindicato dos Bancários, estabelecendo uma convivência produtiva, para o aprofundamento de questões funcionais que envolvem seus colaboradores.

Empregados sindicalizados, em 2008 – Itaú Unibanco

   
Empregados sindicalizados 36.836
Dirigentes sindicais 1.288

Comunicação interna

Manter uma comunicação ativa e transparente é uma das diretrizes do Itaú Unibanco, no relacionamento com os seus colaboradores. Para estabelecer um fluxo contínuo de comunicação, o banco mantém um conjunto de veículos de comunicação, eletrônicos e impressos. Os principais são os portais corporativos, as publicações e os informativos de diversas orientações e periodicidade, além das centrais de atendimento telefônico.

Ao longo dos anos, o Itaú vem investindo constantemente na criação e na ampliação de portais corporativos por segmentos e áreas da empresa. Um dos veículos de maior abrangência é a revista Itaú Notícias, distribuída, mensalmente, a todos os colaboradores da organização. Além da revista, existem suplementos específicos para as áreas de negócio (agências, empresas, financeiras, seguros, cartões).

No Unibanco, um dos principais veículos de comunicação interna é a TV Unibanco, a maior rede de televisão corporativa do país, com mais de mil pontos instalados, que conta com a participação dos principais executivos da empresa. Além da TV Corporativa, a Revista Unibanco e o Portal Unibanco têm grande expressividade entre os colaboradores. A revista é mensal e distribuída a todos os profissionais do conglomerado. Já o Portal Unibanco é o principal canal eletrônico da organização, com cerca de 5 milhões de acessos/mês.

Independência total

O ombudsman do Itaú conta com uma estrutura própria e independente para acolher críticas, sugestões e reclamações dos colaboradores. O serviço vem sendo implantado de forma gradativa e, no ano de 2008, chegou à Administração Central, passando a atender 18 mil colaboradores. Para a rede de agências, está sendo adotada a mesma estratégia de implementação gradativa, que começou em novembro de 2008 e prosseguirá ao longo de 2009. Para auxiliar o processo de comunicação com os colaboradores, foi lançado o Blog do Ombudsman.

O Unibanco mantém o Voz Ativa, principal canal de interação com os colaboradores da empresa. O canal recebe dúvidas, críticas, sugestões e opiniões dos funcionários. No ano de 2008, foram recebidas cerca de 23 mil mensagens no Voz Ativa.

Sociedade

Diversidade

A Política de Sustentabilidade do Itaú Unibanco expressa o compromisso da instituição em promover um ambiente de trabalho inclusivo, que valorize a diversidade e a equidade, por meio da atração de profissionais de diferentes formações, raças, opiniões e culturas.

Em 2008, ambas as instituições desenvolveram, em parceria com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), um programa piloto para a capacitação profissional e a inclusão de pessoas com deficiência. No Itaú, 108 foram contratados e serão capacitados para o cargo de auxiliar bancário. No Unibanco, 79 profissionais foram contratados nas mesmas condições. Os participantes foram registrados no regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e terão direito a todos os benefícios previstos na convenção coletiva de trabalho da categoria.

Antes mesmo da associação, os dois bancos partilhavam da mesma crença: vivências e experiências de vida distintas do time de colaboradores contribuem diretamente para o contínuo desenvolvimento das pessoas e das organizações. Em 2008, foram contratados 858 aprendizes. Até dezembro, 31% dos aprendizes que concluíram o programa no Itaú foram efetivados. No Unibanco, o programa envolveu 502 aprendizes. O banco também desenvolveu, em parceria com o Instituto Unibanco, o projeto piloto de Aprendizes PCDs (pessoas com deficiência), no Rio de Janeiro. O projeto contou com a participação de 20 pessoas com deficiência, que se formarão em 2009.

O Itaú, por sua vez, participou do Programa de Empregabilidade de Pessoas com Deficiência da Serasa, no qual assumiu a parceria para qualificação de um grupo de 107 profissionais, patrocinando dez alunos. Os participantes foram avaliados, ao término do curso de quatro meses, em fevereiro de 2009, para possível contratação.

O Itaú mantém um Comitê de Pessoas com Deficiência, que visa incentivar a participação das diferentes áreas e o envolvimento dos colaboradores com o tema. O grupo também é responsável por propor ações de melhoria relacionadas a inclusão, integração, desenvolvimento e, principalmente, acessibilidade das pessoas com deficiência.

Para valorizar a diversidade, o Itaú também desenvolve o Programa de Capacitação de Afrodescendentes, voltado para universitários negros. A ação contribui para a capacitação profissional e o desenvolvimento da cidadania de jovens, em parceria com a Faculdade da Cidadania Zumbi dos Palmares, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e as ONGs Afrobras e Educafro. Cerca de 80% dos estagiários que concluíram o programa em 2008 foram efetivados.

O Unibanco criou, em 2008, sua Política de Valorização e Promoção da Diversidade, estabelecendo princípios éticos para garantir a igualdade de oportunidades e o desenvolvimento profissional dos colaboradores, independentemente de seu gênero, etnia, crenças, opiniões, idade e deficiências. Um dos focos da política é a inclusão de portadores de deficiência nos quadros da instituição. Dentre as ações para aumentar a acessibilidade dessas pessoas, se destacam a instalação de rampas de acesso às áreas, a ampliação de corredores entre as estações de trabalho e a adequação de mobiliários. Houve um crescimento de 99% na contratação de deficientes, em relação a 2007. Outra ação de valorização da diversidade foi a extensão de benefícios, como assistência médica e coparticipação em crédito imobiliário, aos parceiros do mesmo sexo.

Composição dos grupos responsáveis pela governança corporativa do Itaú Unibanco

Diretores*    
Diretoras – Mulheres 20 7,09%
Diretores – Homens 262 92,91%

*Considerados diretores estatutários

Cargos de chefia – Mulheres (diretoras / superintendentes / gerentes / coordenadoras) 5.833 39,46%
Cargos de chefia – Homens (diretores / superintendentes / gerentes / coordenadores) 8.948 60,54%

Diversidade do público interno do Itaú Unibanco por categoria

Gênero dos funcionários  
Homens Mulheres
Conselho 46 2
Diretores estatutários 176 10
Gerência 8.791 5.990
Administrativo 21.161 28.950
Produção 15.659 26.988
Aprendizes 833 1.538
Trainees 124 54
Estagiários 703 647

Obs.: foram excluídos os aprendizes de Produção e os trainees de Administrativo do Unibanco

Faixa etária  
Abaixo dos 30 46.010 43%
Entre 30 e 49 55.003 51%
De 50 anos acima 6.526 6%
TOTAL 107.539 100%
Colaboradores em cargos de chefia acima de 45 anos
Homens 2.280 66,51%
Mulheres 1.148 33,49%


Cargos de chefia por raça
Negros 751
Funcionários negros  
Homens Mulheres
Conselho 0 0
Diretores estatutários 0 0
Gerência 451 300
Administrativo 2.281 3.529
Produção 3.238 4.670
Aprendizes 121 247
Trainees 9 5
Estagiários 53 64
Pessoas com deficiência  
Homens Mulheres
Conselho 1 0
Diretores estatutários 0 0
Gerência 26 6
Administrativo 426 413
Produção 1.250 1.242
Trainees* 0 0
Estagiários* 0 0

* Consideradas as empresas Banco Itaú, Itaucor, Itaucred, Itauprev, Itaú Leasing, Orbitall, Fic, Fai, Facilita, Trishop, Itauseg, Icarros, DTVM, Kinea, Itaú Adm. Consórcio, Itauseg Saúde, Itaú XL, Finaustria Assess., Fina., Total Serviços, Financeira Itaú, Itaú Holding, BIC, Banco Itaucard e o conglomerado Unibanco

Voluntariado

Incentivar a adesão de seus colaboradores, para que se engajem em causas sociais, é outra característica comum das instituições que deram origem ao Itaú Unibanco. Em 2008, Itaú e Unibanco participaram da fundação do Conselho Brasileiro de Voluntariado Empresarial (CBVE), uma rede de empresas, fundações e institutos que promovem o trabalho voluntário. O Itaú também se dedicou a criar e fortalecer uma rede de colaboração para o voluntariado por todo o Brasil. O Programa Itaú Voluntário, iniciativa da Fundação Itaú Social e do Banco Itaú, com a coordenação técnica do Centro de Voluntariado de São Paulo, promoveu 12 encontros regionais, para mais de 940 colaboradores das agências.

Para incentivar a prática do voluntariado entre seus colaboradores, o Itaú mantém o Portal Itaú Voluntário(www.ivoluntarios.org.br), elaborado em parceria com o Portal do Voluntário, da ONG Comunitas. O portal traz informações sobre eventos, redes de comunicação, entrevistas com especialistas e voluntários. O site terminou o ano de 2008 com 3.491 usuários cadastrados, o que representa um aumento de aproximadamente 39% em relação ao ano anterior. Também para incentivar o envolvimento dos colaboradores em ações pela defesa dos direitos da criança e do adolescente, o banco criou, em 2008, o Rally Itaú Criança. A ação piloto envolveu 3.243 colaboradores, que adotaram 41 escolas. Os voluntários realizaram 130 atividades e arrecadaram 56.014 livros.

No Unibanco, a coordenação do programa de voluntariado cabe ao Instituto Unibanco, que estimula os colaboradores a se envolver em ações comunitárias. São profissionais engajados em diversas iniciativas sociais presentes em todo o país. Há um sistema de capacitação online para a atividade voluntária, disponível na intranet do Unibanco.

Uma das ações desse programa é o Mentoria Jovem, cujo objetivo é auxiliar a formação pessoal e profissional de estudantes do Ensino Médio da rede pública: cada jovem do programa conta com um mentor, selecionado entre colaboradores do Unibanco que se destacam pela posição de liderança ou pela participação em ações voluntárias promovidas pelo Instituto. Em 2008, participaram do programa cerca de 140 jovens, estudantes do Ensino Médio – com idade entre 15 e 24 anos –, e 70 mentores voluntários. A meta desses mentores é promover, ao longo de um ano, mudanças positivas na atitude e no comportamento dos jovens, ampliando seus horizontes de conhecimento e aumentando suas chances de inclusão social e profissional.

Outra frente na qual os colaboradores do conglomerado têm participação ativa é a equipe de voluntariado do programa Junior Achievement, que promove a integração do mundo empresarial com a sociedade, por meio da escola. O projeto leva noções básicas sobre negócios, ministradas por profissionais do conglomerado, a alunos de escolas públicas, em 14 capitais.

Mobilização para o desenvolvimento sustentável

O Itaú Unibanco busca educar e sensibilizar seus gestores e colaboradores em temas relacionados
ao desenvolvimento sustentável.

O Itaú realizou, em 2008, duas edições do evento Diálogos Itaú de Sustentabilidade, voltado aos colaboradores, com os objetivos de disseminar e de estimular a adoção de conceitos relacionados ao desenvolvimento sustentável. O tema escolhido foi “Reciclagem sob Diferentes Olhares”. Os encontros contaram com a participação da ONG Papel Voluntário e do Compromisso Empresarial para a Reciclagem (Cempre), além de abrir espaço para o relato de experiências de outras empresas. Estiveram presentes 307 colaboradores do Centro Empresarial Itaúsa e do Centro Técnico Operacional. O evento também foi transmitido para os profissionais do Centro Administrativo Tatuapé (CAT).

Os colaboradores do Itaú também são alvo da campanha Uso Consciente do Crédito. Os objetivos da iniciativa, estendida ao público interno em 2007, são manter o bem-estar da equipe, prevenir o endividamento do colaborador e orientá-lo, nos casos em que as dívidas impactam no desempenho e na qualidade de vida. Os gestores são informados sobre os casos de inadimplências dos colaboradores e, dessa forma, podem ajudá-los a resolver a questão.

Já o Unibanco criou os Líderes de Sustentabilidade, grupo que reúne 35 colaboradores de diversas áreas, com os objetivos de disseminar o conceito na organização e implantar projetos nos seus respectivos setores. Os Líderes foram distribuídos em 12 grupos de trabalho (GTs) e um grupo de estudos, coordenados pela área de Sustentabilidade. Cada GT elaborou seu plano de ação, que incluiu desde o desenho de estratégias e a formulação de políticas até pequenas mudanças cotidianas.

Entre as atribuições dos grupos, estavam previstas a inclusão de aspectos socioambientais nas análises realizadas pelas áreas de crédito e riscos, a disseminação dos conceitos de educação financeira e consumo consciente para os clientes do banco e a inserção de iniciativas propostas pelos índices de sustentabilidade que contribuam para a transparência da comunicação com investidores. Para elaborar planos de ação que permitissem o alcance das metas estabelecidas, os Líderes participaram de reuniões e treinamentos. Um deles foi o Treinamento sobre Finanças Sustentáveis, promovido pelo Unibanco e conduzido pela Fundação Getulio Vargas e pela Fábrica Éthica.

Reconhecimentos em 2008

  • As 10 empresas dos sonhos dos universitários, concedido ao Banco Itaú pela Companhia de Talentos, consultoria especializada em programas de estágios e trainees no Brasil e na América Latina.
  • Uma das melhores empresas para trabalhar, concedido ao Banco Itaú e às empresas Taií e Itaucred Veículos pela revista Época e pelo Instituto Great Place to Work.
  • Melhores empresas para trabalhar, à Taií, à Itaucred Veículos e ao Banco Itaú, segundo seleção das revistas Você S.A. e Exame e da Fundação Instituto de Administração (FIA).
  • Melhores empresas para Trabalhar, outorgado ao Banco Itaú pela revista Valor Carreira e pela consultoria Hewitt Associates.
  • Melhor na Gestão de Pessoas, ao caso Educação e Capacitação Taií, segundo a revista Melhor Gestão de Pessoas.
  • Prêmio “Ser Humano Oswaldo Checchia 2008”, promovido pela ABRH Nacional, na categoria Empresarial – modalidade Gestão de Pessoas, para o Itaú.
  • Melhores empresas para trabalhar, ao Unibanco, segundo as revistas Exame e Você S.A., em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA).
  • O Unibanco foi agraciado com o Prêmio E-Learning Brasil 2008/2009, por utilizar recursos tecnológicos no aprendizado contínuo de seus colaboradores.

Clientes

Relação de confiança

Com presença maciça no território nacional, o Itaú Unibanco nasce com uma carteira que une os cerca de 30,5 milhões de clientes do Unibanco e 27 milhões de clientes do Itaú, nas mais diversas modalidades de negócios financeiros. Os clientes Itaú Unibanco terão à sua disposição uma rede de altíssima capilaridade, composta por 4,6 mil agências e postos de atendimento bancário e 30 mil caixas eletrônicos, presentes em 1.100 municípios do Brasil. Os serviços da Internet também serão ampliados, totalizando mais de 300 operações exclusivas por esse canal. Além disso, a ampliação da base de clientes resultará em maior eficiência de processos.

O aumento do número de clientes permitirá, ainda, o uso de modelos matemáticos mais refinados, para entender as necessidades dos clientes e, assim, oferecer produtos e serviços mais adequados ao seu perfil.

Respeito ao consumidor

O Itaú Unibanco acredita que uma parceria de longo prazo com os clientes se baseia em relações pautadas na confiança, na transparência e no respeito. Oferecer um atendimento com qualidade e o aperfeiçoamento contínuo do relacionamento com o cliente têm sido os principais norteadores de ambas as instituições.

A satisfação indica uma medida da sensibilidade da instituição às necessidades de seus clientes. Do ponto de vista do banco, é essencial para o sucesso no longo prazo. No contexto da sustentabilidade, a satisfação do cliente ainda propicia a compreensão de como uma organização constrói sua relação com um de seus públicos estratégicos.

Em todas as oportunidades, o novo banco compartilhará as boas práticas e serviços que mais se destacam em cada organização, para que continue a oferecer os melhores produtos e os serviços mais eficientes aos clientes.

O Itaú e o Unibanco avançaram, em 2008, em seus programas. O Itaú, que já avaliava, mensalmente, a satisfação dos clientes em cada agência do banco, implementou estudos para apurar a satisfação do cliente em cada central de atendimento. O Projeto Tracking Ouvidoria, por exemplo, tem por objetivo monitorar a satisfação dos clientes com a resolução de problemas apresentada pelo banco, Ouvidoria, Bacen e Procon. A satisfação com o atendimento da Ouvidoria saltou de 5,33 para 7,48. Já o Programa Mystery Shopping possibilita melhor controle por parte dos gestores e maior homogeneidade na atuação das centrais de atendimento, iniciativas que serão estendidas, em 2009.

O Unibanco implantou o projeto Solução de Problemas na Central 30 Horas e no Internet Banking Pessoa Física. Após analisar a percepção dos clientes quanto à eficiência do banco na resolução de problemas por esses canais, uma equipe multidisciplinar mapeou e identificou os pontos críticos que mais influenciam a satisfação dos clientes. Seu principal indicador de medição foi o atributo da pesquisa Tracking de Satisfação – “Facilidade para resolver problemas”. O Unibanco já adotava uma série de medidas para aumentar a satisfação dos clientes, como os Conselhos de Gerentes Gerais e de Guardiões da Qualidade, formados pelos gerentes da rede de agências de todas as regiões do país. Os Conselhos têm como objetivo identificar sugestões e críticas tangíveis, sempre em busca da melhoria da qualidade no atendimento. Algumas das ações sugeridas pelos Conselhos foram implantadas, a exemplo da criação do cartão de crédito para pessoa jurídica.

Outro instrumento adotado é o IGS (Índice Geral de Satisfação), que indica, com clareza, o nível de aprovação dos serviços e dos produtos do banco. O índice é resultado dos principais atributos da pesquisa de satisfação, realizada com 12 mil clientes do Unibanco. O IGS é acompanhado pela alta administração do conglomerado e por todos os executivos e gestores, pois compõe um dos indicadores de qualidade que influenciam diretamente a avaliação de resultados das principais áreas e a avaliação individual dos executivos.

O Itaú criou uma área de Competitividade, responsável por monitorar os níveis de satisfação dos clientes, entender com maior profundidade os motivadores de satisfação e insatisfação e, com isso, mobilizar as diversas áreas da instituição em busca de melhorias. Essa nova metodologia, já implantada nas principais áreas de negócio do banco, prevê estudos regulares de satisfação, sendo semestral, em alguns casos, como middle market, e até mensal, em outros, como no varejo pessoa física e alta renda.

A voz do cliente dentro do banco

Ouvidoria

A Ouvidoria representa uma instância de recorrência para os clientes de Itaú e Unibanco e possui foco efetivo na solução de problemas. O Itaú foi pioneiro na criação de uma Ouvidoria Corporativa, muito antes de esse assunto se constituir numa obrigatoriedade instituída pelo Conselho Monetário Nacional. O lançamento, na ocasião, por meio da campanha “O Itaú Quer Ouvir Você”, reforçou o compromisso do banco de ouvir e aprender com os clientes.

Em 2008, milhares de clientes foram atendidos, nas ouvidorias, em todas as empresas das duas instituições. Ambas as ouvidorias ganharam um escopo mais abrangente e foram inseridas no modelo de governança corporativa das organizações. Além de atender aos clientes, passaram a servir de catalisadoras de ações corretivas, de aperfeiçoamento e de disseminação de uma cultura de respeito aos direitos do consumidor. A preocupação com a evolução contínua levou Itaú e Unibanco a ações diferenciadas, em 2008.

O Itaú priorizou iniciativas de eficiência operacional, envolvendo todas as áreas da instituição, a fim de elevar o comprometimento de todos com a qualidade e os prazos da resolução das ocorrências. Também reestruturou a área, criando o atendimento por segmento de negócio, para facilitar o relacionamento do ouvidor especialista com cada uma das áreas do Itaú, permitindo que a Ouvidoria Corporativa atendesse ao pleito dos clientes em 75% (média/ano) dos casos apresentados. Uma iniciativa inovadora foi a constituição do Agente do Cliente, profissional que contribui para tornar a perspectiva do cliente mais presente em cada área de negócio.

A Ouvidoria do Unibanco inovou numa atuação de prevenção de reclamações e insatisfações de consumidores. Sua participação, como membro efetivo, do processo de análise e gestão de riscos instituído no banco buscou levar a todos a visão do cliente e a necessidade de aprimoramento de produtos ou processos, antes mesmo de seu lançamento.

Dos clientes que procuraram as ouvidorias do Unibanco e do Itaú, 99% não recorreram a órgãos externos de defesa do consumidor, como Procon e Banco Central, demonstrando a efetividade na busca pela melhor solução para o cliente e para o conglomerado.

Em 2008, a Ouvidoria do Unibanco atendeu cerca de 52 mil ligações de clientes do conglomerado Unibanco, atuando diretamente em 21% dos processos elegíveis, que são reclamações de clientes que não ficaram satisfeitos com a solução apresentada pelo Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC). Entre os principais motivos, figuraram processo de tarifação, cancelamento de compra, discordância das regras de produto e não recebimento de documentos.

Ranking de reclamações na Ouvidoria

  Ouvidoria
  Itaú Unibanco
  Quantidade Quantidade
Banco 5.029 3.185
Cartões 1.747 5.263
Seguros 846 338
Financeiras 251 2.032
Veículos 1.270 763
TOTAL 9.143 11.581

Obs.: total de atendimentos efetuados pelos ouvidores, por segmento

Opinião valiosa

A participação dos clientes é fundamental na construção do novo banco. Alguns meses após a associação, foi realizado um estudo de mercado, com o Ibope, para ouvir e entender a percepção de quem tem conta no Itaú ou no Unibanco.

A pesquisa buscou levantar expectativas, valor agregado, pontos de alerta e aspectos como atendimento, serviços e produtos. O resultado deverá contribuir na definição dos possíveis modelos de gestão e de atendimento.

Conselho e Fórum de Clientes

Ambas as organizações possuíam canais para estreitar o diálogo com seus clientes de forma pró-ativa: Conselho de Clientes, do Unibanco, e Fórum de Clientes, do Itaú.

O Unibanco foi a primeira instituição financeira a implantar um Conselho de Clientes. Criado em março de 2005, reúne, trimestralmente, clientes dos segmentos Uniclass e Exclusivo, com o objetivo de ouvir sugestões e críticas, para a melhoria da qualidade de atendimento da instituição. O Conselho possui mandatos anuais e é composto por clientes selecionados a partir da base de usuários das centrais de atendimento que fizeram sugestão ou crítica de forma pró-ativa.

Algumas sugestões do Conselho de Clientes já foram adotadas pela instituição, como a expansão do horário para pagamento de contas no Telefone 30 horas e adaptações no Internet Banking, com a inclusão de um buscador e de informações de segurança e o acesso rápido por segmento de conta. Os caixas eletrônicos também passaram a publicar informações sobre as cédulas disponíveis no momento do saque.

O Itaú criou, em setembro de 2005, o “Fórum de Debates com Clientes”, que contava com a participação de clientes que haviam registrado manifestações na Ouvidoria. Em novembro de 2008, o Fórum foi aprimorado e retomado, com um modelo diferente. Um grupo fixo de clientes, de cada mercado, é convidado a participar de quatro reuniões, ao longo de um ano. Nesses encontros, os clientes podem expor suas percepções diretamente aos executivos responsáveis pelo segmento. Nessas reuniões, o banco se compromete a responder a todos os questionamentos apresentados pelos clientes. A experiência realizada no mercado de pessoa física varejo, em dois segmentos, será expandida, em 2009, para as demais áreas de negócios.

Vários indicadores de satisfação são utilizados para a remuneração variável das equipes comerciais e da administração central nas suas diversas áreas.

O Itaú e o Unibanco usam de todas as ferramentas para ouvir e aprender com seus clientes. O Itaú aproveita todos os seus canais de atendimento e relacionamento, como caixas eletrônicos, Internet Banking e central de atendimento telefônico, para ouvir a opinião dos seus clientes. O Itaú e o Unibanco fazem uso de institutos de pesquisa especializados, como Ibope, Ipsos, TNS Interscience e GfK Indicator, para coletar as informações sobre a satisfação dos seus clientes de forma isenta. Com essas iniciativas, os dois bancos chegam a ouvir mais de 1,3 milhão de clientes pessoa física e mais de 100 mil clientes pessoa jurídica ao ano.

Os resultados das pesquisas motivam eventuais adequações em produtos e serviços. Além disso, os pontos positivos identificados podem ser usados na comunicação com o cliente. Exemplos disso foram a campanha de Uso Consciente do Crédito e a relação custo-benefício.

Procon

Itaú e Unibanco sempre deram muita importância ao relacionamento com os Procons, destacando-se, por exemplo, a disponibilização de um telefone 0800 exclusivo para atender os Procons de todo o país, permitindo que a solução ao órgão possa ser dada de forma imediata. O ano de 2008 foi marcado pela implantação de um convênio, firmado com o Procon Belo Horizonte, que possibilitou ao Itaú ser uma das primeiras empresas do país a utilizar o sistema de CIPs eletrônicas, um ofício eletrônico de investigação preliminar.

As seis principais reclamações registradas a respeito do Itaú estão relacionadas a cartões de crédito, financeira, renegociação de dívidas e cobrança, financiamento de veículos, empréstimos e financiamentos.

No Unibanco, as quatro principais reclamações registradas estão relacionadas à renegociação de dívida, ao cancelamento de produtos e serviços, ao uso não reconhecido de cartão de crédito e às dificuldades de encerramento da conta-corrente.

Reclamações no Procon

  Ranking de reclamações Procon SP* Demanda geral do Procon Brasil**
  Itaú Unibanco Itaú Unibanco
  Quantidade % pleito atendido Quantidade % pleito atendido Quantidade Quantidade
Banco*** 321 41% 166 36% 11.364 3.795
Cartões 611 62% 179 72% 32.268 12.907
Seguros 10 30% 146 55% 712 451
Financeiras 321 68% 286 63% 9.072 13.208
Veículos 323 30%     4.024 827
TOTAL 1.586 52% 777 58% 57.440 31.188

* Total de manifestações fundamentais perante o Procon SP

** Total de manifestações tratadas

*** As ocorrências do Unibanco relacionadas a veículos estão computadas no item banco devido à consolidação de CNPJ utilizada pelo Procon SP

Bacen

As duas instituições trabalharam, em 2008, utilizando o índice de reclamações do Banco Central como um forte indicador de qualidade de serviços.

O Banco Itaú esteve ausente em dez edições do ranking de reclamações do Banco Central (Bacen), e o Unibanco esteve ausente em quatro edições.

Unibanco e Itaú possuem os dois melhores índices de improcedência das reclamações, entre os concorrentes.

Ranking de reclamações

  Bacen
  Itaú Unibanco
  Quantidade % procedência Quantidade % procedência
Banco 306 56% 163 67%
Cartões 70 76% 39 75%
Seguros 12 76% 22 76%
Financeiras 9 73% 19 75%
Veículos 43 62% 2 74%
TOTAL 440 61% 245 69%

Obs.: as médias/mês de denúncias classificadas pelo Banco Central
e que compuseram a listagem de reclamações das instituições com mais
de 1MM de clientes

Diálogos Itaú de Sustentabilidade

Disseminar experiências de diversas empresas e abrir espaço para debates sobre as boas práticas nacionais e internacionais relacionadas ao tema. Esses são os objetivos dos Diálogos Itaú de Sustentabilidade. Em 2008, foram realizadas quatro edições, abertas ao público externo – e que buscaram envolver empresas clientes do Itaú –, sobre mercado de crédito de carbono, sustentabilidade nos negócios e eficiência energética.

Os encontros reuniram cerca de 700 pessoas e contaram com a presença de representantes das empresas Klabin, Usina Santa Elisa, Vonpar, Braskem, CPFL, Elektro, Neoenergia e da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável, da Associação Brasileira das Empresas de Conservação de Energia e da Unicamp. Por meio desses encontros, o Itaú estimula o diálogo e dissemina os conceitos de responsabilidade socioambiental para clientes pessoa jurídica, médias empresas, formadores de opinião, executivos e imprensa.

Extreme Makeover

Em 2008, o Itaú realizou a terceira edição do programa do Extreme Makeover, em parceria com a Itautec, a Microsoft e a revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios. O projeto vem transformando micro e pequenas empresas, por meio de mudanças nas áreas de tecnologia e gestão financeira.

O primeiro passo foi fazer o diagnóstico dos problemas, tarefa delegada aos consultores do projeto. Ao visitar as empresas, eles listaram as principais dificuldades enfrentadas e definiram as soluções. A terceira edição do programa também incluiu uma consultoria socioambiental, oferecida pelo Itaú. O banco procurou mostrar que é possível adotar práticas sociais e ambientais em empresas de todas as áreas e portes e que ações simples podem resultar em redução de custos e diferenciais competitivos, além da melhor utilização dos recursos naturais. Foram abordados assuntos como reciclagem, redução do uso de papel e eficiência energética.

Uso Consciente do Dinheiro

O Itaú e o Unibanco têm como compromisso com seus clientes e a sociedade esclarecê-los e orientá-los sobre o uso responsável dos serviços financeiros. O programa do Itaú de Uso Consciente do Dinheiro dissemina as melhores formas de utilizar o dinheiro, estabelecer orçamentos domésticos organizados, tomar crédito e planejar investimentos. Já o programa do Unibanco de Orientação do Cartão de Crédito dissemina o uso moderado e consciente do meio de pagamento. As instituições acreditam que, como empresa focada na sustentabilidade e na responsabilidade social, são deveres prestar esse serviço e compartilhar o conhecimento sobre o setor financeiro com a sociedade.

Para aumentar a abrangência dos programas Uso Consciente do Crédito e Uso Consciente da Conta-corrente, em 2008, o Itaú desenvolveu quatro novas cartilhas, distribuídas aos clientes nas agências e disponíveis para download no site do banco. Os colaboradores do banco são outro público-alvo da ação (veja mais detalhes em Colaboradores).

A cartilha Orçamento familiar aborda como organizar as finanças domésticas; por sua vez, A hora de investir traz explicações sobre investimentos seguros e conscientes. Na cartilha Saindo do vermelho, o cliente recebe dicas de como enfrentar, do ponto de vista financeiro, situações inesperadas, como a perda de emprego. Por fim, em Falando de dinheiro com seus filhos, são abordadas formas de transmitir o conceito de uso consciente às futuras gerações. Também estão sendo reeditadas cartilhas lançadas anteriormente, sobre uso consciente do crédito, em versões para pessoas física e jurídica.

Ao longo de 2008, o Unibanco fortaleceu investimentos na educação financeira de seus clientes. A Microinvest capacitou 569 microempreendedores. O treinamento incluiu noções básicas de contabilidade, gestão de negócios e uso consciente do crédito.

Mais acesso aos serviços financeiros

O Itaú Unibanco acredita que o amanhã foi feito para todos, sem exceção. Por isso, reforça seu compromisso com a cidadania e a responsabilidade social, adequando agências, caixas eletrônicos, atendimento telefônico e internet para atender de forma ampla e integrada as pessoas com deficiência.

O banco facilita o acesso às instalações para pessoas com deficiência. Mais de 3 mil agências – 98% do Itaú e 78% do Unibanco – possuem rampas de acesso, piso podotátil e banheiros e ATMs adaptados às necessidades desse público.

Reconhecimentos em 2008

  • Pelo segundo ano consecutivo, a Fininvest foi vencedora da Pesquisa Anual “As Empresas que mais respeitam o consumidor no Brasil 2008”, na categoria Financeira/Crédito Pessoal, realizada pela consultoria internacional TNS Interscience, em parceria com a revista Consumidor Moderno.
  • O Itaú foi vencedor da pesquisa anual “As empresas que mais respeitam o consumidor no Brasil 2008”, na categoria banco varejo. A pesquisa, realizada pelo 6.º ano consecutivo, é uma iniciativa da revista Consumidor Moderno, com a TNS InterScience.
  • O Itaú ganhou o prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente.
  • A Unicard recebeu o selo de ética da Probare, por suas operações de vendas via telemarketing.
  • A Unibanco Asset Management conquistou o Top 10 Geral da Agência Estado Projeções.
  • O Unibanco foi premiado pelo E-finance 2008.
  • O Unibanco Seguros & Previdência recebeu o prêmio Cobertura Performance 2008, na categoria Melhor Performance na Carteira de Riscos Nomeados.
  • O Prêmio Gazeta Investe 2008 foi concedido, pela Gazeta Mercantil, ao Unibanco Asset Management, por apresentar o melhor fundo de renda fixa.
  • O Itaú recebeu o Prêmio Intangíveis Brasil 2008 e o Top Intangíveis Brasil 2008, setor bancos, da revista Consumidor Moderno / DOM Strategy Partners.
  • O Melhor Gestor de Fundos de Investimento, do Guia Exame de Investimentos Pessoais, foi dado ao Itaú.
  • Prêmio Qualidade em Bancos, da revista Banco Hoje, concedido ao Itaú.

Acionistas

Agilidade e transparência

O Itaú conta com um universo de aproximadamente 75 mil acionistas e investidores, e o Unibanco, com 156.827 acionistas. A área de Relacionamento com Investidores, a primeira a ser integrada, após o anúncio da associação, tem a atribuição de manter comunicação constante com esse público e com formadores de opinião a respeito das atividades e resultados do grupo. A exemplo das outras áreas do novo banco, adotou as melhores práticas advindas de Itaú e Unibanco.

A diretriz básica desse relacionamento é ser transparente, em todos os momentos. As comunicações são realizadas por meio de eventos, reuniões, publicações, Internet e diversas outras iniciativas. O compromisso é levar ao mercado informações claras, exatas, acessíveis e abrangentes, a respeito de estratégias, resultados e operações do grupo.

No dia 9 de dezembro de 2008, na primeira reunião da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec) realizada após a associação, em São Paulo, o evento registrou um recorde de público, com mais de 640 participantes. A reunião foi transmitida pela Internet, com tradução simultânea para o inglês e o espanhol, e contou com a presença de um número expressivo de jornalistas, sendo 15 deles provenientes da Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai. Ao longo de 2008, enquanto ainda operavam independentemente, Itaú e Unibanco realizaram, respectivamente, 16 e 5 reuniões Apimec.

Todas as ações praticadas pela área fazem parte da Política de Relações com Investidores e são reportadas ao Comitê de Divulgação e Negociação. O papel do Comitê é organizar e agregar valor ao relacionamento com os públicos, com base em um planejamento estratégico estruturado, que norteia ações como implementação de medidas, monitoramento, avaliações e feedback.

Um canal de comunicação de destaque, mantido pela área, é o site de Relações com Investidores (RI), que conta com demonstrações financeiras, análise gerencial da operação, comunicados, fatos relevantes, histórico de dividendos, apresentações, teleconferências e outras informações, em três idiomas. O portal oferece, ainda, a possibilidade ao usuário de escolher o conteúdo da página e criar páginas com conteúdo específico de seu interesse.

Canais de comunicação

  • Site de Relações com Investidores do Itaú Unibanco
  • Reuniões públicas
  • Reuniões com grupos de investidores, no Brasil e no exterior
  • Teleconferências
  • Informativo Ações em Foco
  • Relatório Anual
  • Chats (investidor pessoa física)
  • E-mail alert
  • Fale Conosco
  • Atendimento telefônico

Públicos de relacionamento

  • Acionistas
  • Investidores individuais e institucionais
  • Analistas de mercado
  • Órgãos reguladores
  • Entidades dos mercados de capitais nacional e internacional
  • Mídia especializada em finanças
  • Acadêmicos que estudam os mercados financeiro e de capitais

Reconhecimentos em 2008

  • O site de Relações com Investidores do Unibanco (www.ri.unibanco.com.br) foi premiado, pela 8.ª vez consecutiva, como um dos Top 5 Websites de Relações com Investidores da América Latina. O prêmio é o mais importante de RI da Internet brasileira, organizado pela MZ Consult, KPMG, JPMorgan e Linklaters, para a valorização dos canais de informações claros, ágeis e eficazes.
  • Pelo segundo ano consecutivo, o Unibanco foi eleito uma das Melhores Companhias para os Acionistas, sendo o único banco entre as empresas vencedoras e a única companhia presente em ambas as listas, de 2007 e 2008. Concedido pela revista Capital Aberto, o prêmio avaliou 86 empresas, listadas na Bolsa de Valores de São Paulo, com valor de mercado superior a R$ 15 bilhões.

Fornecedores

Cadeia de valores

O Itaú Unibanco contava com uma base de mais de 47 mil fornecedores ativos, no final de 2008. A grande maioria desses parceiros é composta por empresas brasileiras que, para proverem produtos e serviços ao banco, se comprometem contratualmente com os valores corporativos do banco, além de atender aos critérios de qualidade e prazo. Em 2008, as transações comerciais entre Itaú, Unibanco e seus fornecedores envolveram o desembolso de mais de R$ 9 bilhões.

As principais diretrizes comuns nos processos de seleção e contratação de fornecedores das duas instituições são a democratização do acesso a diferentes empresas e a rigidez com que monitoram o alinhamento à conduta ética exigida pelo Itaú Unibanco. O site de fornecedores do Itaú, por exemplo, foi lançado em 2006 e vem recebendo melhorias a cada ano. Ele permite reforçar e sistematizar o diálogo com esse público, uma vez que divulga a Política de Compras e Contratação e reforça a interação com os parceiros já existentes. A utilização da ferramenta possibilita, ainda, a ampliação da base de fornecedores homologados para participar dos processos de concorrência, oferecendo oportunidades iguais a empresas de diversos portes e localizadas em diferentes regiões do país. No caso dos novos fornecedores, a habilitação é feita em até 30 dias. O processo de cadastramento atende ao Código de Ética Corporativo do Itaú Holding e está alinhado aos valores e princípios da organização. No contrato, são explicitadas as restrições e as punições relacionadas ao uso de trabalho infantil, trabalho forçado e qualquer tipo de discriminação. Já a implementação do site foi realizada com base nos requisitos da AA1000, norma internacional de ética e relato social que estabelece padrões empresariais de transparência e prestação de contas.

Na seleção dos fornecedores, o Itaú leva em conta mais do que as capacidades técnicas, monitorando, também, o cumprimento das legislações trabalhista e ambiental. São avaliados todos os fornecedores considerados críticos, ou seja, os que podem oferecer riscos operacionais e de imagem e gerar ações trabalhistas, como as empresas de vigilância, call center, construção civil, limpeza e manutenção predial. A avaliação independe do valor dos contratos. A visita é feita pelo gestor contratante, que atesta tecnicamente se a empresa está em conformidade com os padrões do banco. Todo procedimento é formalizado em circulares internas.

O processo de avaliação de fornecedores é certificado pela norma de qualidade ISO 9001. Por meio de um relacionamento próximo e diário, o banco está apto a identificar eventuais desvios de fornecedores. Reforçando seu comprometimento com a causa dos direitos humanos, o Itaú é signatário do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo, um acordo voluntário promovido pelo Instituto Ethos de Responsabilidade Social.

O compromisso com o respeito aos direitos humanos e ao meio ambiente envolve também os fornecedores do conglomerado Unibanco. Todos os contratos vigentes com faturamento acima de R$ 1 milhão possuem cláusulas específicas que obrigam o fornecedor a respeitar as legislações nacional e internacional, coíbem a utilização de mão de obra escrava ou exploração de trabalho infantil, bem como valorizam o respeito ao meio ambiente e a integração social. Nenhum fornecedor Unibanco está na lista de trabalho escravo.

Os outros critérios para a seleção de seus fornecedores são a qualidade dos produtos ou serviços, a capacitação técnica, o suporte local, a agilidade, a saúde financeira, a referência no mercado, a região de atuação e os custos. Eventualmente, a instituição realiza visitas técnicas in loco para averiguar as condições de fornecimento referentes à qualidade e à infraestrutura. As visitas são importantes, pois as operações que exigem o uso intensivo de mão de obra com baixa qualificação podem oferecer risco de ocorrência de trabalho infantil ou de trabalho forçado.

Apesar de tomar todas as medidas adequadas para passar diretrizes claras aos fornecedores, em 2008, o Unibanco foi surpreendido por uma denúncia relatando a ocorrência de trabalho infantil em um de seus fornecedores. O fato foi averiguado, e o prestador de serviços foi advertido e excluído do quadro de fornecedores do banco. Em decorrência desse relato, o Unibanco, por meio de workshops, reforça com seus fornecedores a responsabilidade e o compromisso da não utilização do trabalho infantil ou escravo, bem como o desenvolvimento sustentável, de forma a garantir que esse tipo de ocorrência não se repita.

Valor da diversidade

  • O Unibanco associou-se à Integrare, em 2008, reafirmando, assim, seu compromisso com a valorização da diversidade, nos negócios e na sociedade. A organização não governamental Integrare identifica, qualifica e disponibiliza, para as suas empresas associadas, uma base de potenciais fornecedores cuja composição societária é formada por minorias – negros, descendentes de indígenas e/ou pessoas com deficiências.
  • A Integrare capacita esses fornecedores para que possam competir, de igual para igual (em termos de preço e qualidade), com fornecedores maiores.
  • Como associado, o Itaú Unibanco tem, agora, à sua disposição um banco de dados de fornecedores que fazem parte das chamadas minorias.
  • Essa iniciativa traz ganhos para todas as partes envolvidas ao promover a diversidade, fortalecer a imagem dos parceiros e oferecer oportunidades concretas para os grupos tradicionalmente discriminados e desfavorecidos.

Treinamento de vigilantes em direitos humanos

  • As equipes de vigilância e segurança que trabalham nas instalações físicas do Itaú Unibanco, sejam agências ou centros administrativos, são formadas por prestadores de serviço terceirizados. Todos os profissionais participam de treinamentos, promovidos por seus empregadores – que incluem temas como relações humanas e direitos humanos –, com o objetivo de prepará-los para o relacionamento com o público.
  • Entre os temas tratados nos eventos de formação e reciclagem, estão o atendimento adequado e prioritário às pessoas com deficiência, noções de segurança privada, legislação aplicada, sistema de segurança pública, criminalística, prevenção e combate a incêndio, primeiros socorros, defesa pessoal, segurança física das instalações e vigilância.
  • Para complementar os eventos de capacitação, o banco fornece às equipes de vigilância as cartilhas e o vídeo “De olho na segurança e no bom atendimento”. O material, desenvolvido pelo Itaú e alinhado à sua Política de Segurança, orienta os profissionais a respeito do bom atendimento a clientes e usuários dos serviços bancários, sem perder o foco na segurança. São abordados assuntos como educação, cordialidade, respeito, discriminação e atendimento a pessoas com deficiência.

Imprensa e relações públicas

Próximos da notícia

O Itaú Unibanco considera a imprensa um de seus públicos estratégicos e realiza ações de relacionamento, com o objetivo de contribuir para o uso consciente da informação.

No Itaú, em 2008, cerca de 800 formadores de opinião participaram de encontros, chats, workshops, entrevistas coletivas e conference calls promovidos pelo Itaú Holding. Foram divulgados 258 releases e notas à imprensa, e o site de Relações com a Imprensa, um canal para pesquisa de informações e recebimento de demandas, recebeu 174.253 acessos únicos. Todo esse trabalho é monitorado, diariamente, por parceiros externos, que realizam o clipping diário e a auditoria de imagem.

Entre as principais realizações de 2008, está o lançamento do Prêmio Itaú de Finanças Sustentáveis para jornalistas e acadêmicos. O objetivo é estimular a produção de trabalhos acadêmicos e matérias jornalísticas sobre Finanças Sustentáveis, englobando assuntos como a inserção de aspectos sociais e ambientais nas atividades financeiras. A primeira edição do prêmio, que conta com o apoio da consultoria SustainAbility e do Instituto Ethos de Responsabilidade Social, recebeu 79 inscrições de todo o país.

Ao longo de 2008, a Assessoria de Imprensa do Unibanco atendeu a cerca de 1.800 solicitações de informações feitas por jornalistas e distribuiu 50 releases, relatando as ações da instituição. O resultado dessas ações é acompanhado por parceiros externos, que realizam clipping diário, enviado a centenas de colaboradores, e auditoria de imagem, que é expressa por meio do Iqem (Índice de Qualidade de Exposição na Mídia).

A transparência marcou as ações do banco, em 2008. Um dos casos mais marcantes foi a crise da norte-americana AIG, ex-sócia na seguradora do Unibanco. Por meio de comunicados e conferências telefônicas, montadas sempre que as dúvidas dos jornalistas se acumulavam, foi possível manter um diálogo aberto com o público e tranquilizar clientes quanto à solidez da companhia brasileira, à manutenção das suas atividades e ao atendimento normal aos clientes. Passado o momento mais agudo da crise, o Unibanco divulgou que fizera uma oferta de compra da parte da AIG na seguradora. Por fim, assim que o negócio foi fechado, uma ampla divulgação foi feita para garantir o acesso irrestrito à informação.

Outro caso em que a transparência das informações foi marcante se deu no final de outubro, com a antecipação da divulgação dos resultados do terceiro trimestre. Em um momento de crise, isso liberou os executivos do período de silêncio e permitiu que prestassem os esclarecimentos que diversos stakeholders demandavam, sobretudo a Imprensa.

Outras atividades de destaque do Itaú em 2008

  • Lançamento do Programa Corporativo de Gestão de Crises, em parceria com a área de Continuidade de Negócios. Foram envolvidos mais de 100 agentes focais, distribuídos em pontos estratégicos das áreas do Itaú. Os objetivos são monitorar e prevenir situações de risco à reputação, à imagem e aos negócios do banco.
  • Divulgação de todas as etapas da Olimpíada da Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, parceria inédita entre o Ministério da Educação e a Fundação Itaú Social, com reforço presencial na divulgação de cada regional, na etapa semifinal e na final, em Brasília (DF), com presença de jornalistas de vários veículos do país.
  • Divulgação de nove estudos exclusivos do mercado de cartões de crédito, além de indicadores mensais com dados da evolução dessa indústria.
  • Realização de cinco workshops com formadores de opinião e de dois chats sobre produtos para pessoa jurídica e sobre cartões de crédito.
  • Realização das duas primeiras edições internacionais do Sustentabilidade em Pauta, sendo uma com a participação da SustainAbility, sobre finanças sustentáveis, e outra com a participação da GRI (Global Reporting Initiative), sobre relatórios de sustentabilidade. Cerca de 90 pessoas participaram dos eventos. O Sustentabilidade em Pauta é um ciclo de encontros trimestrais, com discussões sobre temas de sustentabilidade.
  • Apimec – Pelo terceiro ano consecutivo, o Itaú trouxe jornalistas da Argentina, do Chile e do Uruguai para acompanhar a reunião Apimec, além de palestras com executivos do banco. Como novidade, em 2008, o Itaú trouxe, ainda, três jornalistas do Paraguai.
  • Newsletter – Desde 2007, o Itaú envia, mensalmente, a newsletter eletrônica Itaú Socioambiental a um mailing de aproximadamente 5 mil pessoas, entre colaboradores, clientes, jornalistas, estudantes e outros públicos, que se cadastraram pelo site de sustentabilidade do banco (www.itau.com.br/socioambiental). O perfil da publicação inclui entrevistas externas, análises e perspectivas sobre o assunto, além de informações sobre as ações de sustentabilidade da organização.
  • Divulgação do projeto Itaúbrasil, ressaltando a atuação cultural do Itaú, envolvendo uma ação de relacionamento, com convites aos formadores de opinião para participar de shows e exposições. Para apresentar o projeto e sua programação a jornalistas das áreas de cultura, economia e marketing, a Assessoria de Imprensa realizou uma coletiva de lançamento, em junho de 2008. Ao longo da programação, a imprensa recebeu notas, releases, fotos e demais materiais jornalísticos.

Comunidade

Estímulo ao desenvolvimento local

O Itaú Unibanco estimula o envolvimento de suas equipes em ações sociais. A rede de agências, as fundações e os institutos do banco, presentes em todas as regiões do país, são a linha de frente da instituição no seu contato com as comunidades nas quais está presente. Os colaboradores estão preparados para identificar as necessidades dessas localidadese avaliar como o banco pode agir para atendê-las, além do tradicional papel das instituições bancárias. Esse processo é fundamental para que o banco cumpra seu compromisso com o desenvolvimento sustentável da sociedade.

Em 2008, Itaú e Unibanco uniram-se para mobilizar seus funcionários, clientes e a sociedade, em apoio às vitimas das chuvas no Estado de Santa Catarina. Para multiplicar os esforços voltados ao atendimento imediato às vítimas, o Itaú abriu uma conta-corrente para receber doações em dinheiro, colaborando com a Secretaria de Defesa Civil do Estado. Com a ação, foram arrecadados, pelas duas instituições, mais de R$ 4,3 milhões. Por meio do Programa de Voluntariado do Unibanco, foram arrecadados alimentos, agasalhos, livros e brinquedos.

Nesse mesmo período, o número de participantes do programa Itaú Solidário, que busca facilitar doações e a destinação de impostos dos colaboradores do banco para projetos em defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes, cresceu 63%, alcançando quase 7 mil profissionais. O volume de recursos arrecadados pelo programa aumentou 49% em relação ao ano anterior, passando de R$ 431 mil para R$ 641 mil. De acordo com as leis de incentivos fiscais, todo cidadão que declara imposto de renda pelo modelo completo pode destinar até 6% do tributo a ser pago ou a ser restituído a esses projetos, por meio dos Fundos da Infância e Adolescência. Esses fundos são administrados pelos Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, órgãos deliberativos e controladores das ações dedicadas a esse público.

Em 2008, as empresas do Grupo Itaú repassaram um total de R$ 3,5 milhões aos Fundos da Infância e Adolescência, três deles nas esferas estadual e municipal, beneficiando 70 projetos. As leis de incentivo fiscal permitem que as empresas destinem até 1% do imposto de renda devido a esses fundos.

O Programa Itaú Solidário conta com a parceria de 28 Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCAs), presentes nas cinco regiões brasileiras. Em cada município parceiro, há o Comitê Itaú Solidário, grupo de 8 a 12 funcionários voluntários, formado para acompanhar os projetos indicados pelos CMDCAs a partir de seu diagnóstico e plano de ação local. Na campanha anual, o Itaú Solidário apresenta a todos os colaboradores a possibilidade de destinação de recursos a esses projetos. Em 2008, 250 pessoas formaram os comitês, que contribuíram para 29 projetos espalhados pelo país.

O banco institucionalizou a Rede Itaú Solidário, destina da a articular atores estratégicos em prol da garantia dos direitos da criança e do adolescente. A primeira ação da Rede, em 2008, foi realizar cinco encontros de formação dos Comitês Itaú Solidário, nos polos regionais de São Paulo, Fortaleza, Curitiba, Belo Horizonte e Brasília, dos quais participaram mais de 200 colaboradores voluntários, membros dos Comitês e representantes dos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Outro programa importante de apoio à comunidade é o Itaú Criança, que age na mobilização pela defesa dos direitos da criança e do adolescente, por meio das agências Itaú, Itaú Personnalité e lojas Taií. O programa promove estratégias de participação de colaboradores, clientes e parceiros, em prol da coletividade. Assim como no ano anterior, em 2008, cada agência foi convidada a adotar uma escola pública de seu entorno, com o objetivo de contribuir para a educação pública de qualidade, oferecendo folhetos com dicas sobre como os pais podem ajudar no processo de aprendizagem de seus filhos e estimulando os clientes e a comunidade a doar livros, para complementar o acervo das bibliotecas escolares. Para complementar as ações realizadas nas agências, a Fundação Itaú Social, em parceria com editoras, doou kits com livros de literatura infanto-juvenil, que foram entregues às escolas adotadas, ampliando o acervo dessas escolas. Em parceria com empresas de logística e transporte que prestam serviços ao Itaú, colaboradores voluntários prepararam os kits, enviados às instituições educacionais junto do guia Biblioteca Ativa, publicação cedida pelo Instituto Gerdau, que orienta sobre o melhor uso das bibliotecas.

Reconhecimentos em 2008

O Itaú recebeu o certificado Empresa Cidadã, do Conselho Regional de Contabilistas do Rio de Janeiro.

Por meio do Programa Comunidade, Presente!, o banco apoia projetos ligados à educação pública, como capacitação de educadores, inclusão digital, formação de jovens na periferia dos grandes centros urbanos e atividades complementares à escola, como esportes, música e reforço escolar. O programa tem por objetivo orientar os colaboradores da rede de agências a adotar um processo estruturado de atendimento, avaliação e encaminhamento dos pedidos de apoio para projetos sociais, que são encaminhados às agências por empresas ou entidades representantes das comunidades locais. Como premissa básica, os projetos devem estar alinhados aos valores, aos princípios e às diretrizes da Fundação Itaú Social (leia mais sobre a participação dos funcionários em ações sociais em Voluntariado, no capítulo Colaboradores).

Meio Ambiente

Ecoeficiência e mobilização

O Itaú Unibanco está atento aos impactos ambientais de suas atividades. Instituições financeiras geram impactos que estão, em grande parte, relacionados ao consumo de recursos naturais, como água, energia elétrica e insumos do dia a dia. A geração de gases poluentes no transporte de pessoas e de valores também é um impacto relevante da instituição. Diante disso, antes de Itaú e Unibanco se tornarem uma única instituição, já possuíam práticas similares para mitigar os impactos ambientais diretos de suas operações.

Desde 2007, o Itaú conta com o Grupo de Trabalho de Ecoeficiência, destinado a ajudar a organização a identificar ações capazes de produzir o uso mais eficiente dos recursos naturais. Esse grupo de trabalho, que se reúne quinzenalmente e é composto por representantes de várias áreas do Banco, analisa práticas do mercado e sugestões enviadas por colaboradores. Entre as atividades realizadas pelo grupo em 2008, estão a implementação da coleta seletiva, com participação dos colaboradores, e a mobilização para apoiar a administração predial na criação de um bicicletário.

Por sua vez, o Unibanco criou, em 2008, uma área específica para lidar com a gestão dos impactos ambientais de suas atividades. A Gerência de Ecoeficiência foi criada com o objetivo de centralizar todas as informações sobre o assunto em uma única área, capaz de estabelecer uma estratégia integrada para toda a instituição. A Gerência de Ecoeficiência tem como papéis implantar e monitorar os resultados de ações e programas de eficiência de recursos como água, energia e materiais em geral, bem como a redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE) da instituição.

Os dois bancos realizaram, ainda, iniciativas para reduzir os impactos ambientais de seus produtos e serviços. O Itaú implementou o programa TI Verde (veja quadro na página 133) e reduziu o envio de documentos a clientes, substituídos pelo uso de serviços eletrônicos. O Unibanco, por sua, vez desenvolveu o cartão Greenpeace, produzido com um tipo de plástico que causa menor impacto no meio ambiente e na saúde das pessoas, quando descartado, por ser isento de cloro. Também incentiva o uso de extratos via e-mail, reduzindo, assim, a quantidade de papel emitida aos seus clientes.

Juntos, Itaú e Unibanco investiram R$ 18,9 milhões em ações de proteção ambiental.

Investimentos ambientais (em R$) 2008
Unibanco  
Espaço Vida 191.151,50
Gestão de Ecoeficiência 138.000,00
Inventário de gases de efeito estufa (GEE) 91.000,00
Termoelétrica Bandeirantes 16.000.000,00
Itaú  
Disposição e tratamento de resíduos de prédios e agências 1.804.607,23
Manutenção e segurança do parque Lina e Paulo Raia 428.810,35
Implementação de coleta seletiva nos pólos Ceic, CAT e CTO 245.000,00
Total Itaú Unibanco 18.898.569,08

Emissões de poluentes

A maior parte das emissões diretas de gases de efeito estufa (GEE) do Itaú Unibanco ocorre por meio do transporte de pessoas e materiais, pela fuga de gases refrigerantes em aparelhos de ar-condicionado e pela geração de eletricidade, quando é necessário colocar geradores próprios em funcionamento. Já as emissões indiretas são provenientes da frota de carros blindados terceirizados, que realizam o transporte de numerários entre as diversas agências e caixas eletrônicos de todo o Brasil.

Para monitorar suas emissões de GEE, Itaú e Unibanco realizaram inventários com base na metodologia GHG Protocol (veja quadro na página 128). Os dois bancos também possuem diversas iniciativas para reduzir essas emissões. Veja, a seguir, quais foram as principais medidas adotadas em 2008.

  • Itaú e Unibanco empreenderam ações de otimização da logística do transporte de numerários, com consequente redução de emissão indireta de CO2 pelos carros- -fortes das empresas contratadas. Também está sendo feito um melhor controle de estoque, evitando viagens desnecessárias para entrega de material.
  • O Itaú está priorizando a utilização de videoconferências e cursos a distância, que reduzem a necessidade de locomoção de colaboradores.
  • Nos seus prédios administrativos, o Itaú adota a instrução normativa do Ibama para recolhimento e armazenamento de gases refrigerantes contaminados.
  • O Programa de Carona do Unibanco minimiza as emissões de gases de efeito estufa, e o acesso a esse programa está disponível no portal do Unibanco (disponível para todos os colaboradores do conglomerado). Os colaboradores interessados podem se cadastrar para traçar o seu itinerário e oferecer carona.
  • O Unibanco estimula o transporte fretado de seus colaboradores ao trabalho. Todos os gastos desse deslocamento são reembolsados aos colaboradores. Como consequência, o banco incentiva e estimula o transporte coletivo, aumentando a eficiência de suas emissões de gases de efeito estufa por quilômetro rodado/colaborador. Cerca de mil colaboradores já aderiram à iniciativa.
  • O tratamento dos efluentes domésticos pela estação de tratamento de esgoto localizada no Centro Administrativo Unibanco diminui as emissões de gases de efeito estufa (especialmente metano). Em 2008, a iniciativa permitiu ao Unibanco deixar de emitir 128,8 toneladas de CO2 com o tratamento desses resíduos.

Emissão de gases de efeito estufa em 2008 – Itaú Unibanco

    Emissão estimada (t CO2) Consumo (l)
Itaú + Unibanco
Escopo I
Frota terrestre própria 1.653 708.276 l gasolina
Geradores 4.192 1.561.565 l diesel
  Total 5.845
       
  Energia elétrica Emissão estimada (t CO2) Consumo
Itaú + Unibanco
Escopo II
Prédios administrativos 9.249 191.560 MWh
Pontos de venda 16.714 344.621 MWh
Total 25.963 536.181 MWh
    Emissão estimada (t CO2) Consumo
Itaú + Unibanco Escopo III Transporte coletivo
de funcionários
873 1.557.638 km
Transporte de valores 25.345 9.453.583 l (diesel)
Transporte de cargas 9.802 4.664.466,4 l (diesel)
Táxi 2.302 12.753.857 km
Reembolso de
quilometragem +
combustível
43.311 20.374.619,48 l
(gasolina)
Viagens aéreas 15.920 125.429.800 km
Total 97.553  

Emissão de substâncias destruidoras da camada de ozônio em 2008 – Unibanco*

Tipo de gás Consumo (Kg) ODP** Emissão estimada (kg CFC11 eq)
R-22 6.084 0,055 334,62
141- b 355,5 0,11 39,105
R-134 a 272,4 < 1,5.10-5 0,0041
Total 6.711,90 - 373,725

Os tipos de gás de ar-condicionado utilizados nos prédios administrativos estão listados na tabela acima: R-22 (clorodifluormetano), 141-b (1,1- dicloro- 1- fluoretano), R 134-a (1,1,1,2- tetrafluoretano). Os HFCs são incolores e quase inodoros e têm potencial de esgotamento de ozônio zero (ODP = 0); já o gás de ar-condicionado utilizado nas agências é o R-22 (cloro difluormetano)

* Gases refrigerantes utilizados em aparelhos de ar-condicionado, nos prédios administrativos

** O ODP é definido como a alteração do ozônio estratosférico total por unidade de massa emitida de uma determinada substância, relativa à alteração do ozônio estratosférico total por unidade de massa de CFC-11 emitido (Fonte: The Ozone Layer – DETR, UK. 1998)

Emissão de NOx e SOx em 2008

Itaú Unibanco Emissão estimada (Kg NOx) Emissão estimada (Kg SOx)
Transporte coletivo de funcionários 18.199,2 619,58
Transporte de valores 59.286,13 5.271,45
Transporte de cargas 22.282,86 2.172,39
Táxi 21.952,1 520,87
Geradores 39.039,09 13.104,49
Total 160.759,41 21.688,78

Inventário

Pela primeira vez, em 2008, o Unibanco realizou seu inventário de emissões de gases causadores do efeito estufa. O Unibanco participa do Carbon Disclosure Project (CDP) desde 2006, respondendo ao questionário sobre o impacto de suas operações nas mudanças do clima. Para tal, foi utilizada a metodologia do Greenhouse Gas Protocol – padrão internacional mais utilizado para entender, quantificar e gerenciar emissões de gases causadores do efeito estufa.

O Itaú, por sua vez, responde ao relatório global do CDP desde 2005, iniciativa global independente com o objetivo de informar investidores e clientes sobre os riscos e as oportunidades ocasionados pelas mudanças climáticas. Além de ser signatário e respondente, uma vez que é uma empresa de capital aberto, o Itaú também patrocina a edição da América Latina. Foram realizados eventos no Chile, no México e na Argentina, com o objetivo de apresentar o CDP para as empresas desses países e convidá-las a participar do relatório.

Materiais usados e destinação de resíduos

O consumo de materiais do Itaú Unibanco refere-se, em sua maioria, a papéis para cheques e uso administrativo, além de mobiliário e plástico para cartões de crédito e débito (veja a tabela no fim desta página).

O Unibanco recicla cerca de 39% de todo o seu lixo reciclável (papel, metal, plástico) em suas unidades. Em 2008, os processos estenderam-se aos maiores núcleos geradores de resíduos. Documentos triturados, materiais plásticos, de vidro e de alumínio são descartados de maneira adequada, com menor impacto para o meio ambiente.

O percentual de papel reciclado utilizado em 2008 foi de 14%. No mesmo ano, também foi implantada a reciclagem de banners e faixas, que são doados à organização não governamental Arrastão, para serem transformados em bolsas e estojos. A verba arrecadada com o processamento dos resíduos retorna ao Instituto Unibanco para ser aplicada em projetos de coleta seletivas e de reciclagem.

Em 2008, o Itaú implementou a coleta seletiva nos seus prédios administrativos em São Paulo. Antes da criação do programa, os resíduos recicláveis eram coletados no subsolo, para serem separados e vendidos. Com o novo programa, a separação é feita pelos colaboradores, no descarte.

Ao longo de 2008, foram coletadas 1.935 toneladas, o que gerou uma receita de R$ 190 mil com a venda dos materiais, revertida para ONGs parceiras da Fundação Itaú Social.

Ainda na área de resíduos, o Itaú passou a recolher, em 2008, o lixo orgânico gerado nas cozinhas e nos restaurantes dos três centros administrativos em São Paulo. As 12 toneladas coletadas mensalmente são transformadas em 3 toneladas de adubo. Além disso, o banco recolhe 600 litros de óleo e os doa para ONGs, que utilizam o material na fabricação de sabão.

Outra ação de destaque, em 2008, foi a eliminação de caixas de arquivo inativo das agências, que estavam sob a guarda de empresas terceirizadas. Todo esse material foi direcionado para a reciclagem. O resultado dessa operação foi a coleta de 574 toneladas de papel branco e 30 toneladas de papelão. A venda desses resíduos gerou R$ 91 mil, posteriormente destinados à Fundação Itaú Social.

Destinação de resíduos em 2008 Itaú Unibanco

Os cheques recebidos, após processados, são destinados à empresa Kaper, que recicla documentos confidenciais, entre eles cheques.

Consumo de materiais em 2008
Itaú Unibanco (em toneladas)

Papel (escritório) Papel (cheques) Cartão
4.104,5 687,0 343,8
     
Papel reciclado Móveis de madeira FSC
14% 1.040,8
  TOTAL GERAL  
Resíduos Toneladas Reciclagem
Papel / Papelão 2.977,3 SIM
Plástico 109,4 SIM
Vidro 2,6 SIM
Metal 18,1 SIM
Lixo orgânico (aterro) 1.828,8 NÃO
Lixo orgânico (compostagem) 33,7 SIM
Lâmpadas (ton) 3,2 SIM
Pilhas e Baterias 1,3 SIM
Cartuchos (unidades) 15.174 SIM
ATM – caixa eletrônico 78,4 SIM
PC – monitores de computador 69,1 SIM

Energia

A energia consumida pelo Itaú Unibanco é utilizada para transporte – gasolina –, funcionamento de geradores próprios – diesel – e operação dos centros administrativos e dos pontos de venda – eletricidade. Tanto Itaú, como Unibanco, monitoram o consumo de energia e implementam iniciativas visando reduzir a utilização de eletricidade e de combustíveis.

Em 2008, um novo procedimento de coleta de dados do uso de energia das agências viabilizou a tomada de iniciativas para a redução do consumo. As agências do Unibanco no país enviaram as contas de energia elétrica, durante todo o ano, para a análise do consumo. As agências que mais gastaram energia elétrica (cerca de 230) passaram a ter o consumo monitorado, o que corresponde a mais de 75% da rede.

O banco adotou, também, equipamentos mais eficientes, com menor consumo de energia. Trocou os aparelhos de ar-condicionado em 54 agências e substituiu 4.441 estações de trabalho (monitores e CPU) convencionais por mais modernas, que consomem menos energia.

Em 2008, o Itaú buscou reduzir seu consumo de energia elétrica, com produtos e soluções mais eficientes. O monitoramento dos gastos de energia é feito mensalmente e analisado pela Comissão de Racionalização de Processos e Custos (CRPC). O banco ainda conta com um grupo dedicado ao assunto, formado por representantes de todas as áreas de engenharia da organização. Para disseminar as boas práticas de redução de consumo, foi criado um manual de procedimentos de economia, para orientar os gerentes das agências.

Entre as diversas medidas já adotadas, estão a alteração do padrão das lâmpadas, de 40 W para 32 W, nas agências, e a utilização de reator eletrônico, o que possibilita uma economia de 20%. Outra ação importante foi a implementação do Programa Retrofit, que substituiu o sistema de ar-condicionado do prédio administrativo do Cambuci (CTO) por centrífugas de melhor desempenho. Além disso, foi implementado o uso de sistemas de supervisão para controle automático e de iluminação nos polos Ceic e CTO.

Em 2008, as principais novidades foram:

  • Substituição do sistema de ar-condicionado do prédio Rudge Ramos e, no polo CAT, melhoria no isolamento de dutos do sistema de ar-condicionado, para a melhor eficiência do equipamento. Também no CAT foi feita a instalação de automação para controle de temperatura.
  • Substituição dos elevadores do polo CAT por modelos mais eficientes, com redução de 40% na energia elétrica consumida por esses equipamentos, e modernização dos elevadores dos polos Ceic (torres Alfredo Egydio, Conceição, Itauseg e da cozinha), CTO (expedição e cozinha), Jardim Paulista, Santana e Pinheiros. Também foi realizada a substituição dos equipamentos industriais utilizados para produção dos alimentos por modelos mais eficientes e com menor consumo de energia, sendo parte deles movida a gás.
  • Substituição da iluminação dos halls das Torres Alfredo Egydio, Conceição e Itauseg, no polo Ceic, com redução de 20% no consumo de energia em relação ao modelo anterior.

TI Verde

Em 2008, o Itaú realizou investimentos de R$ 2,3 bilhões em tecnologia, necessários para suportar um volume de 3,37 bilhões de transações, nos diversos canais de autoatendimento. Mas a tecnologia também tem seu impacto e, desde 2004, o Itaú investe em programas e iniciativas ambientais, que incluem pesquisas, projetos e benchmarking com diversas empresas, para identificação e desenvolvimento de práticas sustentáveis para a área.

Um dos principais impactos da tecnologia dentro da esfera bancária é o consumo de energia elétrica; por isso, a maior parte das práticas desenvolvidas pelo programa está relacionada à eficiência energética. Entre as ações realizadas, está a troca da central de refrigeração do Centro Técnico Operacional (CTO), que, desde 2004, utiliza gás ecologicamente correto para refrigeração, com redução de 40% no consumo de energia. Ambientes que, antes, ficavam iluminados 24 horas por dia, hoje, só acionam as luzes quando há uma pessoa presente.

A troca de diversas máquinas por máquinas de maior porte e mais eficientes é outra estratégia do programa de TI Verde. Somente em 2008, foram trocados 450 servidores. Monitores “tubo” estão sendo substituídos, gradativamente, pela tecnologia LCD, mais econômica.

Além da questão energética, as iniciativas de TI Verde também focam o descarte de materiais tecnológicos, como baterias utilizadas por no-breaks das agências, postos de atendimento bancário, lojas Taií e CEIs, que são descartadas ao final da vida útil de acordo com políticas ambientais . A meta para 2009 é ampliar a política de descarte e reaproveitamento de máquinas.

Consumo de energia direta por fonte, em 2008 (em GJ)

Itaú Unibanco  
Fonte GJ
Geradores 56.872,4
Prédios
Agências
Fininvest
Hipercard
Frota própria 23.167,3

Fator de conversão: 1 l = 0,2641 Gal., 1 galão 0,138 GJ (diesel); 0,125 GJ (gasolina)

Itaú Unibanco    
Consumo de energia elétrica MWh MWh por colaborador
Prédios administrativos 191.561 -
Pontos de venda 344.622 -
Total 536.182 5,55

Fonte sustentável de energia

A Usina Termoelétrica Bandeirantes (Uteb), instalada no Aterro Sanitário Bandeirantes, em São Paulo (SP), foi a primeira movida a biogás do Brasil e a maior do mundo, na época de sua construção, em 2003. A usina, administrada pelo Unibanco, gera eletricidade a partir da combustão do gás metano, proveniente do lixo orgânico, que é extraído do aterro.

A capacidade de geração de energia da usina é de 20 MW, suficiente para abastecer uma cidade de 400 mil habitantes. O Unibanco usa parte dessa energia em cinco prédios administrativos, em São Paulo, e um, no Rio Janeiro. Essa iniciativa reduziu os gastos com energia elétrica.

Com a associação entre os bancos, está em fase de estudo a ampliação da produção de energia, em 2009, para abastecer também os prédios administrativos do Itaú. Os benefícios não são apenas econômicos. O aproveitamento do metano contribui para reduzir, na atmosfera, a quantidade desse gás de efeito estufa, associado ao aquecimento global.

Em 2008, foram emitidos créditos em volume superior a 590 mil toneladas de CO2, sendo que já foram certificadas mais de 470 mil toneladas de CO2. Aproximadamente 120 mil toneladas de gás carbônico estão em processo de certificação.

Por meio do acordo firmado entre o Unibanco, a Prefeitura do Município de São Paulo e a Biogás, metade do volume dos créditos de carbono fica com a Prefeitura do Município de São Paulo, intermediada pela Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, para investimento no Fundo Municipal de Meio Ambiente. A outra parte é distribuída entre o Unibanco e a Biogás, sendo que o Unibanco tem direito a receber 7,5% dos créditos de carbono gerados pela Uteb.

Até 2015, o projeto reduzirá o equivalente a 7,3 milhões de toneladas de CO2, elegíveis à obtenção
de créditos de carbono, de acordo com o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo idealizado pelo Protocolo de Kyoto.

O funcionamento da Usina Bandeirantes melhorou a qualidade de vida de cerca de 120 mil habitantes do bairro de Perus, em São Paulo, eliminando focos de contaminação, odores inconvenientes causados pelo lixo depositado no aterro, insetos e a transmissão de doenças. O projeto contempla, ainda, uma área de lazer para a comunidade vizinha à usina. Essas melhorias ocasionaram a valorização das propriedades na região.

Benefícios da Uteb

Ganha o Itaú Unibanco, que utiliza a energia da Uteb para abastecer seis prédios administrativos do conglomerado.
Ganha o meio ambiente, com a redução de emissão do metano, um gás poluente associado ao aquecimento global.
Ganha a população da região do aterro, já que a renda arrecadada com o leilão de créditos de carbono da Uteb na BM&F é usada pela Prefeitura de São Paulo para projetos de melhoria da qualidade de vida da comunidade vizinha à usina.

Funcionamento da Uteb

  • Cada tonelada de resíduo depositado em aterros sanitários gera, em média, 150 m3 de biogás. A geração do biogás começa alguns meses após o início do aterramento dos resíduos e continua até 15 anos após o encerramento da unidade.
  • Na Uteb, mais de 12 mil m3/h de gás são encaminhados aos 24 conjuntos de motogeradores da usina. É uma rede de 60 km de tubos, conectada a mais de 200 drenos verticais de alívio.
  • Depois de coletado, o gás passa pelos processos de limpeza e secagem.
  • Quando encaminhado à central termoelétrica, o gás é utilizado como combustível na produção de energia elétrica.

Água

O Itaú Unibanco utiliza água para suprir as necessidades administrativas de seus pontos de venda e centros administrativos. A grande maioria da água utilizada provém da rede pública de abastecimento – em menor proporção, utiliza-se, também, água de poços artesianos (veja tabela no fim desta página). Em 2008, o percentual de água de reúso foi de 2,1%, equivalente a 51.236 m3.

O Unibanco Holding consome água para suprir necessidades administrativas. Esse consumo provém da rede de distribuição das concessionárias, à exceção do Centro Administrativo Unibanco e do call center, que utilizam água de poço artesiano.

No Centro Administrativo Unibanco (CAU), uma estação de tratamento de água ainda elimina os efluentes gerados e reutiliza essa água para irrigação de jardins, limpeza de áreas comuns e nos vasos sanitários. Essa ação resultou em uma economia de 23.388 m3 de água em 2007. O volume de água reutilizada, em 2008, subiu para 32.986 m3.

Desde 2004, o Itaú vem intensificando o número de ações com o objetivo de reduzir o consumo de água em seus prédios e agências. O consumo de água aumentou de 14,57 m3 por colaborador, em 2007, para 26,4 m3 por colaborador, em 2008. O aumento está ligado à alteração dos critérios de apuração de consumo e à abertura de 235 novas agências, ao longo de 2008.

Entre as medidas tomadas pelo Itaú, ao longo dos anos, para reduzir o uso desse recurso, estão a coleta e o tratamento da água dos lavatórios da torre Eudoro Villela (polo Ceic). Após ser coletada, a água é tratada e utilizada nas bacias sanitárias, e, desde 2006, a medida representa uma economia diária de 50 mil litros de água.

As ações incluem, ainda, investimentos em tecnologias e sistemas de infraestrutura mais econômicos, reúso de água e utilização da água pluvial.

Nas novas agências, estão sendo instaladas bacias sanitárias de modelos mais eficientes, que utilizam menor quantidade de água. Também nas novas agências, foi adotado ar-condicionado eficiente, que utiliza o sistema de resfriamento por ar, e não água. Foram realizadas reformas nos sanitários do Ceic (torres Alfredo Egydio, Conceição e Itauseg) e dos prédios Pinheiros, Santana e Vila Mariana, em São Paulo, que passaram a contar com bacias e válvulas que permitem uma economia de 50% no volume de água por acionamento.

Foi dado início ao projeto-piloto para captação e utilização de água pluvial, em nove agências novas. Após ser coletada, a água é tratada e reutilizada em banheiros, jardins e limpeza de áreas externas. A concepção do projeto foi feita com base no índice pluviométrico de diferentes regiões do país. A captação de água pluvial também foi implantada no polo CAT, em São Paulo, com coleta da água proveniente da cobertura para reúso nas bacias dos sanitários.

Consumo de água em 2008 – Itaú Unibanco (em m3)*

  Itaú Unibanco por colaborador
Prédios administrativos 677.177 -
Pontos de venda 1.191.627 -
Água subterrânea (poço artesiano) 114.536 -
Total 1.983.340 25,2

* O descarte de água é exclusivamente de esgoto doméstico e água recolhida da chuva

Mobilização

Todos os anos, o Itaú realiza o projeto Plante a Primavera, com os objetivos de estreitar o relacionamento entre agências, clientes e comunidade e despertar a consciência ecológica. Na 21.ª edição do programa, realizada em 2008, foram distribuídas 10.500 mudas, que serão plantadas em áreas de conservação ambiental. O programa envolveu os funcionários dos polos administrativos de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Curitiba, de Belo Horizonte, de Goiânia e de Salvador.

As sementes plantadas no Estado de São Paulo foram encaminhadas para um viveiro, localizado na cidade de Nazaré Paulista, da Arvorar – consultoria ligada ao Ipê (Instituto de Pesquisas Ecológicas), especializado em promover a restauração florestal integrada ao envolvimento social e à conservação da biodiversidade. O plantio é monitorado e, quando as sementes se transformarem em mudas, serão plantadas em reservas ambientais ligadas à Arvorar. Em Nazaré Paulista, também foram oferecidas mudas para um plantio especial, em uma área de reflorestamento, ação realizada por 1.500 crianças de escolas públicas e privadas, escolhidas pelos gerentes das agências de São Paulo.

Inserido na cidade

O Itaú Unibanco busca promover o desenvolvimento ambiental nas cidades onde está presente. Em 2008, o Unibanco atuou na conservação de oito pontes, localizadas ao longo da Marginal Pinheiros, em São Paulo. O patrocínio incluiu pintura das pontes, limpeza e jardinagem das alças de acesso.

Além disso, por meio do Projeto Passarela Verde, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, o Unibanco beneficiou todas as pessoas que transitam pela passarela que cruza a Av. Eusébio Matoso e as praças vizinhas. A passarela contou com as seguintes melhorias:

  • Piso revestido com borracha reciclada, feita de pneus usados.
  • Trecho do telhado projetado com bambu, que absorve 30% mais carbono do que outras vegetações do mesmo porte.
  • Uso de madeira plástica, produzida a partir da reciclagem de embalagens.
  • Nas praças vizinhas, foram plantadas espécies nativas, que atraem pássaros e ajudam a preservar a umidade do solo.
  • Uso de energia solar e lâmpadas de alta eficiência.
  • Dois elevadores para o acesso de pessoas com deficiência.

O Banco Itaú, o Itaú BBA, o Itaú Cultural e o Itaú Social tornaram-se parceiros, em 2008, do projeto Praça Victor Civita – Museu Aberto da Sustentabilidade, ao lado do Instituto Abril, da Editora Abril e da Prefeitura Municipal de São Paulo. Mais do que um local de convivência, a praça tem como objetivo ser uma referência nas questões ambientais, por meio das várias atividades oferecidas à população. O terreno do empreendimento, que estava contaminado por resíduos domiciliares e hospitalares, foi totalmente adaptado para a construção das instalações.

Outro investimento em prol da comunidade feito pelo Itaú, em 2008, foi a manutenção do parque Lina e Paulo Raia, na capital paulista, na qual foram gastos R$ 428.810. O banco também destinou R$ 200 mil, arrecadados na bilheteria da exposição Bossa na Oca, para a revitalização de algumas estufas do Viveiro Manequinho Lopes, localizado no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. A iniciativa é uma parceria do Itaú com a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

Investimentos em infraestrutura e serviços (em R$) 2008
Unibanco  
Espaço Vida 191.151,50
Passarela Verde 1.441.402,31
Centro de Estudos 6.382.654,84
Termoelétrica Bandeirantes 16.000.000,00
Itaú  
Manutenção do parque Lina e Paulo Raia 428.810,35
Coleta seletiva nos polos Ceic, CAT e CTO 245.000,00
Total Itaú Unibanco 24.689.019,00

Reconhecimentos em 2008

  • O Unibanco foi o vencedor do 4.º Prêmio Brasil Ambiental – Mecanismo de Desenvolvimento Limpo –, concedido pela Câmara Americana de Comércio do Rio de Janeiro, com base no relato dos resultados econômicos, sociais e ambientais obtidos com a Usina Termoelétrica Bandeirantes.
  • O Itaú foi homenageado com o Prêmio Época de Mudanças Climáticas, promovido pela revista Época e pela Editora Globo.