Relatório Anual 2012 Itaú Unibanco Holding S.A.

Declarações e Assegurações

Nível de Aplicação - GRI

Relatório de Asseguração Limitada dos Auditores Independentes sobre as informações socioambientais contidas no Relatório Anual

Aos Administradores 
Itaú Unibanco Holding S.A.

São Paulo- SP

Introdução

Fomos contratados pelo Itaú Unibanco Holding S.A. (“Banco”) para apresentar nosso relatório de asseguração limitada sobre a compilação das informações socioambientais contidas no Relatório Anual 2012 do Itaú Unibanco Holding S.A., relativas ao exercício findo em 31 de dezembro de 2012.

Responsabilidades da administração sobre o Relatório Anual 2012

A administração do Itaú Unibanco Holding S.A. é responsável pela elaboração e adequada apresentação das informações socioambientais contidas no Relatório Anual 2012 de acordo com critérios e diretrizes do Global Reporting Initiative  (GRI-G3.1) e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração dessas informações livres de distorções relevantes, independentemente se causada por fraude ou erro.

Responsabilidade dos auditores independentes

Nossa responsabilidade é expressar conclusão sobre as informações socioambientais contidas no Relatório Anual 2012, com base no trabalho de asseguração limitada conduzido de acordo com o Comunicado Técnico CTO 01 – Emissão de Relatório de Asseguração Relacionado com Sustentabilidade e Responsabilidade Social, emitido pelo Conselho Federal de Contabilidade com base na NBC TO 3000 -Trabalhos de Asseguração Diferente de Auditoria e Revisão, também emitida pelo Conselho Federal de Contabilidade – CFC, que é equivalente à norma internacional ISAE 3000 – Assurance engagements other than audits or reviews of historical financial information, emitida pelo IAASB – International Auditing and Assurance Standards Board. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas, incluindo requisitos de independência e que o trabalho seja executado com o objetivo de obter segurança limitada de que as informações socioambientais contidas no Relatório Anual 2012, tomadas em conjunto, estão livres de distorções relevantes.

Um trabalho de asseguração limitada conduzido de acordo com a NBC TO 3000 e a ISAE 3000 consiste, principalmente, de indagações à administração e outros profissionais do Banco envolvidos na elaboração das informações, assim como pela aplicação de procedimentos analíticos para obter evidência que possibilite concluir na forma de asseguração limitada sobre as informações tomadas em conjunto. Um trabalho de asseguração limitada requer, também, a execução de procedimentos adicionais, quando o auditor independente toma conhecimento de assuntos que o levem a acreditar que as informações socioambientais, tomadas em conjunto, podem apresentar distorções relevantes.

Os procedimentos selecionados basearam-se na nossa compreensão dos aspectos relativos à compilação e apresentação das informações socioambientais contidas no Relatório Anual 2012 e de outras circunstâncias do trabalho e da nossa consideração sobre áreas onde distorções relevantes poderiam existir. Os procedimentos compreenderam:

(a) o planejamento dos trabalhos, considerando a relevância, o volume de informações quantitativas e qualitativas e os sistemas operacionais e de controles internos que serviram de base para a elaboração das informações constantes do Relatório Anual 2012 do Banco;

(b) o entendimento da metodologia de cálculos e dos procedimentos para a compilação dos indicadores através de entrevistas com os gestores responsáveis pela elaboração das informações;

(c) entrevistas com gestores responsáveis pelas informações por meio de visitas à unidade administrativa do Banco;

(d) aplicação de procedimentos analíticos sobre as informações quantitativas e indagações sobre as informações qualitativas e sua correlação com os indicadores divulgados nas informações socioambientais contidas no Relatório Anual 2012; e  

(e) confronto dos indicadores de natureza financeira com as demonstrações financeiras e/ou registros contábeis.

Os trabalhos de asseguração limitada compreenderam, também, a aplicação de procedimentos quanto à aderência com critérios e diretrizes do Global Reporting Initiative (GRI-G3.1) aplicáveis na elaboração das informações socioambientais contidas no Relatório Anual 2012.

Acreditamos que a evidência obtida em nosso trabalho é suficiente e apropriada para fundamentar nossa conclusão na forma limitada.

Alcance e limitações

Os procedimentos aplicados em um trabalho de asseguração limitada são substancialmente menos extensos do que aqueles aplicados em um trabalho de asseguração razoável, que tem por objetivo emitir uma opinião sobre as informações socioambientais contidas no Relatório Anual 2012. Consequentemente, não nos foi possível obter segurança razoável de que tomamos conhecimento de todos os assuntos que seriam identificados em um trabalho de asseguração razoável, que tem por objetivo emitir uma opinião. Caso tivéssemos executado um trabalho com o objetivo de emitir uma opinião, poderíamos ter identificado outros assuntos e eventuais distorções que podem existir nas informações socioambientais contidas no Relatório Anual 2012. Dessa forma, não expressamos uma opinião sobre essas informações.

Os dados não financeiros estão sujeitos a mais limitações inerentes do que os dados financeiros, dada a natureza e a diversidade dos métodos utilizados para determinar, calcular ou estimar esses dados. Interpretações qualitativas de materialidade, relevância e precisão dos dados estão sujeitos a pressupostos individuais e a julgamentos. Adicionalmente, não realizamos qualquer trabalho em dados informados para os exercícios anteriores, nem em relação a projeções futuras e metas.

Conclusão

Com base nos procedimentos realizados, descritos neste relatório, nada chegou ao nosso conhecimento que nos leve a acreditar que as informações socioambientais contidas no Relatório Anual 2012 do Itaú Unibanco Holding S.A. não foram compiladas, em todos os aspectos relevantes, de acordo com os critérios e diretrizes do Global Reporting Initiative (GRI-G3.1).

São Paulo, 12 de março de 2013.

PricewaterhouseCoopers
Auditores Independentes
CRC 2SP000160/O-5

Manuel Luiz da Silva Araújo
Contador CRC 1RJ039600/O-7 “SP”

Declaração de Garantia AA1000 - BSD

A BSD Consulting executou a verificação independente do processo de elaboração do Relatório Anual 2012 do Itaú Unibanco de acordo com as diretrizes da AA1000 Assurance Standard. A BSD Consulting acompanha, de forma contínua, os processos de gestão de sustentabilidade e de elaboração do Relatório Anual do banco.

Independência

Trabalhamos de forma independente e asseguramos que nenhum integrante da BSD mantém contratos de consultoria ou outros vínculos comerciais com o Itaú Unibanco. A BSD Consulting (Brasil) é licenciada pela AccountAbility como provedor de garantia (AA1000 Licensed Assurance Provider), sob o registro 000-33.

Nossa Competência

A BSD Consulting é uma empresa especializada em sustentabilidade. Os trabalhos foram conduzidos por uma equipe de profissionais experientes e capacitados em processos de verificação externa.

Responsabilidades do Itaú Unibanco e da BSD

Todo conteúdo do Relatório Anual 2012, processos de engajamento e definição da materialidade são de responsabilidade do Itaú Unibanco. As atividades de avaliação da confiabilidade dos dados relatados e a conferência do nível de aplicação da GRI não foram objeto de trabalho da BSD.

Escopo e Limitações

O escopo de nossos trabalhos inclui as informações contidas no Relatório Anual 2012 do Itaú Unibanco, pelo período coberto pelo relatório. O processo de verificação foi conduzido de acordo com o padrão AA1000AS 2008 (AA1000 Assurance Standard 2008), Tipo 1, proporcionando um nível moderado de assurance. O processo abrange a avaliação da aderência aos três princípios: Inclusão, Materialidade e Capacidade de Resposta.

Metodologia

A abordagem de verificação do processo AA1000 consistiu em:

  • Avaliação do conteúdo do Relatório Anual 2012;
  • Entendimento do processo de geração de informações para o Relatório Anual, considerando o processo de engajamento e definição do conteúdo;
  • Entendimento do desdobramento do Mapa de Sustentabilidade;
  • Acompanhamento da reunião do Comitê de Sustentabilidade e da reunião de kick-off do relatório;
  • Entrevistas com gestores para avaliar a abordagem em relação aos desafios mais relevantes;
  • Análise de documentos internos e comunicações externas para comprovar e evidenciar o processo de tomada de decisões sobre os temas relevantes;
  • Análise da percepção dos gestores e funcionários sobre os compromissos assumidos pelo Banco por meio da Política de Sustentabilidade.
Principais Conclusões

Ao longo do ano de 2012, o Itaú Unibanco focou suas atividades em torno dos três eixos do seu Mapa de Sustentabilidade. Enquanto as atividades nas áreas de “Educação Financeira” e “Riscos e Oportunidades Socioambientais” mostraram progresso consolidado e avançaram nas diferentes áreas de negócio, o eixo de “Diálogo e Transparência” teve como resultado significativo a maior integração das informações gerenciais e departamentais com os aspectos de sustentabilidade dentro de um processo de relato integrado. Partindo desta base, os desafios do próximo ciclo de gestão serão o desdobramento da estratégia no nível das agências, dos negócios internacionais e o estabelecimento de um processo amplo de engajamento com seus stakeholders como parte da estratégia de sustentabilidade.

Principais Conclusões sobre a Aderência aos Princípios AA1000AS (2008)
1. Inclusão – aborda a participação de stakeholders no desenvolvimento de um processo de gestão de sustentabilidade transparente e estratégico  
  • O ano de 2012 se mostrou decisivo para a implementação do Mapa de Sustentabilidade. Partindo da área de sustentabilidade, tanto o Mapa como a Política de Sustentabilidade atualizada foram incluídos no conteúdo de treinamentos e no processo de tomada de decisão em diferentes frentes do banco, sendo compreendidos como parte do conceito da Performance Sustentável da Instituição.
  • O banco mostrou grandes avanços na inclusão do setor de seguros em prol da sustentabilidade. Além de ser um dos protagonistas na adoção dos PSI (Princípios de Sustentabilidade em Seguros), o banco iniciou um ciclo de treinamentos focados em sustentabilidade dentro da área que possui hoje sua própria política de riscos socioambientais e criou um seguro ambiental para empresas, subscrevendo – entre outros – riscos climáticos.
  • Os colaboradores das unidades internacionais estão sendo familiarizados com os principais conceitos de sustentabilidade do Itaú Unibanco adotando o modelo “Performance sustentável” e as práticas de educação financeira e gestão de ética. Porém, é recomendável incorporar a Política de Sustentabilidade neste âmbito para garantir congruência na atuação das diversas unidades no exterior.
2. Materialidade (ou Relevância) – trata de assuntos necessários para que os stakeholders tomem conclusões sobre o desempenho econômico, social e ambiental da organização
  • O banco investiu na criação de um novo cartão de crédito, com o intuito de fornecer um novo modelo com taxa de juros diferenciada e mais baixa. Embora o esforço para a realização dessa iniciativa tenha sido considerável, o assunto de juros e taxas continua a ser um ponto de atenção para o banco e para o setor inteiro.
  • O Relatório Anual de 2012 traz uma prestação de contas sobre as metas estabelecidas no ano anterior e apresenta os novos desafios para os assuntos materiais. Apesar de fornecer informações pertinentes sobre o cumprimento das metas, a formatação de objetivos necessita de maior clareza, por meio do estabelecimento de metas claras, objetivas e mensuráveis.
  • O atendimento de clientes e a sua segurança continuam como assuntos prioritários para o banco. Entendemos que o banco criou medidas e indicadores suficientes para monitorar o seu progresso no atendimento desses aspectos e mostra seu compromisso com a melhoria continua.
3. Capacidade de Resposta – aborda as ações tomadas pela organização em decorrência de demandas específicas de stakeholders
  • O banco mostrou avanços no seu compromisso com a gestão ambiental, tanto criando mais eficiência no uso dos recursos como na integração do tema de mudanças climáticas na avaliação de riscos de crédito, no setor de seguros e nas suas próprias operações, seguindo protocolos internacionais.
  • O Itaú Unibanco aborda – no seu Relatório Anual – as suas práticas de integração de ouvir clientes e funcionários. Porém, é importante estabelecer mecanismos de engajamento que levem as percepções dos stakeholders a um nível de tomada de decisão além de eventos e campanhas, levando a instituição à inovação e que estimule novas estratégias de negócios.
  • O banco foi um dos primeiros a adotar os Princípios de Sustentabilidade em Seguros (PSI) em 2012. O desafio no próximo ciclo de gestão será de integrar os assuntos ambientais, sociais e de governança no negócio dos seguros, de tal forma que sua aplicação não dependa do engajamento de colaboradores, mas sim, esteja ancorado nas diretrizes da organização.

São Paulo, 08.03.2013

BSD Consulting (Brasil)