Relatório Anual 2012 Itaú Unibanco Holding S.A.

Desempenho social – sociedade

SO1: Percentual de operações que implementaram programas de engajamento da comunidade, de avaliação de impacto e de desenvolvimento

EC9: Descrição de impactos econômicos indiretos significativos

Avaliação de impactos GRI EC9

No Microcrédito, utilizamos indicadores financeiros (variação de faturamento e incremento na necessidade de crédito) como suporte para as avaliações de impactos sociais sofridos por clientes. Com o objetivo de conhecer e mapear as expectativas e demandas, em 2012 entrevistamos 20 pessoas (14 em São Paulo e 6 no Rio de Janeiro), conteúdo que originou 8 vídeos, que estão disponíveis na internet, como o vídeo sobre Educação Financeira.

Foram percebidas questões como:

• Clientes que, com pacote de crédito, seguro e orientação têm a oportunidade de melhorar suas condições sociais (geração de renda, emprego, formalização e ascensão social).

• A educação financeira e o acompanhamento do agente de crédito aumentam as habilidades de microempreendedores, que têm acesso a informações sobre fluxo de caixa, ciclo econômico e separação entre despesas pessoais e despesas do negócio.

Ainda esse ano, por meio da ferramenta de geomarketing, identificamos microempreendedores individuais que atuam em regiões com oportunidades para o microcrédito. A ferramenta ajudou a direcionar o planejamento das ações estratégicas e das agendas de agentes de microcrédito.

Estudamos, também em 2012, a utilização de indicadores compatíveis aos do Mix Market (www.mixmarket.org), organização internacional com foco em microfinanças. Nossos indicadores operacionais são apresentados semanalmente para a equipe de gestão e mensalmente para a Diretoria. Além disso, em 2014 pretendemos começar a utilizar um indicador quantitativo de avaliação de impactos.

Para 2013, o objetivo é conhecer, por meio de uma pesquisa qualitativa, a percepção dos clientes sobre a oferta de valor do microcrédito, o impacto do microcrédito e as necessidades dos clientes (produtos e serviços).

No Microcrédito, os clientes contam com canais de relacionamento como o SAC Itaú Unibanco (0800-728-0728), a Central Itaú Microcrédito (11-4004-1937) e o portal www.itau.com.br/microcredito para manifestar suas sugestões ou reclamações e suprimir possíveis dúvidas.

Relacionamento com a comunidade

Contamos com um programa de identificação das necessidades e oportunidades locais nas regiões onde possuímos os maiores polos administrativos. Dessa forma, podemos desenhar um mapa de atuação em conjunto com as lideranças da sociedade civil e as entidades públicas. Os projetos são executados gradualmente a partir da identificação de demandas e viabilizados por meio de reuniões com órgãos públicos e com a comunidade envolvida, bem como a partir da participação em fóruns.

Em 2012, como parte da iniciativa, demos continuidade ao acompanhamento das ações em Mogi Mirim em conjunto com os órgãos públicos e com a Promotoria Estadual. Também fortalecemos a aproximação com a comunidade do Jabaquara por meio da participação na Rede de Desenvolvimento Local e em reuniões da subprefeitura. Patrocinamos ainda seminários focados no tema esporte para o bairro do Jabaquara – um projeto desenvolvido e executado pela comunidade local.

Para ampliar a abrangência do programa, iniciamos o mapeamento e a elaboração do diagnóstico da Vila Prudente, onde está localizado o Centro Tecnológico. Atualmente, participamos da Rede Social; para 2013, pretendemos executar trabalhos focados no microempreendorismo com a comunidade local.

Fundação Itaú Social
Acessar o site: http://www.fundacaoitausocial.org.br/

O investimento em educação é uma das forças motrizes da transformação social e um dos pilares básicos do desenvolvimento sustentável de um país. Para contribuir com a melhoria das políticas públicas de educação, atuamos em parceria com as três esferas de governo, com o setor privado e com organizações da sociedade civil como forma de agregar competências e propor soluções conjuntas para as demandas do país. Também é uma forma de garantir a perenidade das ações em grande escala, alcançando cada vez mais beneficiários.

Diante disso, a Fundação Itaú Social definiu quatro grandes eixos de atuação: Educação Integral, Gestão Educacional, Avaliação Econômica de Projetos Sociais e Mobilização Social (compreende a Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente e o Voluntariado). Esse é o contexto no qual os projetos são desenvolvidos.

Na área de Educação Integral, a Fundação assessora a implantação de políticas de educação integral nas redes públicas. Além disso, promove o Prêmio Itaú-Unicef, estimulando o trabalho de ONGs que contribuem, em parceria com a rede pública de ensino, para a formação integral de crianças e jovens em condições de vulnerabilidade, bem como o Programa Jovens Urbanos, oferecendo formação aos jovens de periferias para ampliação de seu repertório sociocultural.

Na área de Gestão Educacional, a Fundação Itaú Social desenvolve programas voltados para a formação dos gestores, técnicos e educadores e para o aprimoramento das estruturas das secretarias e dos órgãos responsáveis pela gestão.

A área de Avaliação Econômica de Projetos Sociais visa disseminar a cultura e a prática da avaliação econômica de projetos sociais e políticas públicas para a melhoria da gestão dos investimentos sociais. São realizados cursos e seminários voltados aos gestores, além da avaliação de programas próprios, de parceiros e de políticas públicas, analisando os impactos e os retornos do investimento social.

A área de Mobilização compreende três programas: Itaú Criança, Voluntários Itaú Unibanco e Comunidade, Presente!. O Programa Itaú Criança é uma iniciativa de mobilização de colaboradores, clientes, parceiros e a comunidade a serviço da Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente. Apresenta três frentes de atuação que incluem ações e parcerias para disseminar o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o fortalecimento dos Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente e o incentivo à leitura. Em 2012, essa última frente teve grande destaque com uma campanha nacional com o mote “Leia para uma criança” e com a disponibilização de mais de 7 milhões de livros para viabilizar as ações de leitura.

O Programa Voluntários Itaú Unibanco atende ao interesse dos colaboradores de se engajar em ações sociais e oferece diversas oportunidades de atuação voluntária. O programa Comunidade, Presente! busca aproximar as agências e as comunidades em que estão inseridas e apoiar projetos sociais nas áreas de educação e saúde pública de organizações próximas. É criado um canal para que os gerentes das agências identifiquem, encaminhem e acompanhem os projetos sociais escolhidos. As organizações apoiadas recebem recursos para a aquisição de equipamentos e de materiais permanentes e para a ampliação das instalações.

Instituto Unibanco GRI EC9
Acessar o site: http://www.unibanco.com.br

O Instituto Unibanco está direcionado para a qualificação das escolas públicas de ensino médio, com projetos que diminuam a evasão escolar, aprimorem a gestão das escolas públicas, capacitem professores e desenvolvam novos métodos para avaliar e requalificar as instituições públicas de ensino. Eles não necessariamente tratam das prioridades de agendas das partes interessadas, mas, em conjunto, reforçam a melhoria nos índices de despenho das escolas e constituem benchmarks que demonstram a correlação entre educação e desenvolvimento econômico.

Não realizamos ações específicas para identificar os impactos econômicos indiretos dos projetos do Instituto Unibanco. No entanto, há estudos que correlacionam a educação com o desenvolvimento econômico. Entre 2009 e 2011, foram identificados impactos nas regiões em que atuamos, como a melhoria na gestão escolar. Além disso, dados compilados pela Fundação Getulio Vargas indicam que quanto mais altos os níveis de escolaridade, melhor é a inserção das pessoas no mercado trabalhista. Isso significa que o aumento da escolaridade implica maiores chances de ocupação e melhoras nos níveis salariais.

Saiba mais sobre nossas inciativas em comunidades

SO2: Percentual e número total de unidades de negócios submetidos a avaliações de riscos relacionados à corrupção


Os riscos relacionados à corrupção estão especificados na Política Corporativa de Ética e Combate à Corrupção e à Propina, e são avaliados e monitorados pelas áreas de Controles Internos, de Controles Financeiros e de Gestão de Riscos. As denúncias são feitas por colaboradores, clientes, fornecedores, entre outros.

Ao identificar uma ocorrência, a área responsável faz a apuração das informações e encaminha o caso à gestão para que medidas disciplinares sejam tomadas. A comprovação de irregularidade pode desencadear um processo criminal ou demissão de colaboradores e, no caso de fornecedores, denúncia ao poder público ou cessão de contratos.

O gerenciamento de riscos associados ao combate à corrupção e à propina é aplicado às empresas do Itaú Unibanco.

SO3: Percentual de empregados treinados nas políticas e nos procedimentos anticorrupção da organização

O tema de corrupção é regulamentado pelo nosso Código de Ética e pela Política Corporativa de Ética e Combate à Corrupção e à Propina (HF-5). Em 2012, não realizamos treinamentos específicos de combate à corrupção e à propina. Porém, todos os colaboradores são treinados nos princípios do Código de Ética no momento da admissão e 100% dos colaboradores ativos em e-learning de ética, onde o tema corrupção é abordado de forma teórica e em estudo de caso.

Na Redecard, todos os colaboradores também possuem e-learning do código de ética e conduta, disponível na internet, sendo mandatório a todos os colaboradores que têm recursos computacionais e aos recém-admitidos. Dispomos, assim, de 100% dos gestores e 98% de não gestores treinados.

Para o ano de 2013, será desenvolvido um treinamento obrigatório com base na política sobre o tema combate à corrupção.

Saiba mais sobre nossas políticas e iniciativas anticorrupção

SO4: Medidas tomadas em resposta a casos de corrupção

Todas as manifestações de colaboradores referentes a conflitos pessoais são recebidos e apurados pela Superintendência de Ética e Ombudsman do Itaú Unibanco. Casos de descumprimento de normas, fraudes e outros delitos são encaminhados para a Inspetoria.

Em 2012, a área de Inspetoria informou dois casos de recebimento de propina por fornecedores ou prestadores de serviço envolvendo colaborados do banco. Ambos foram desligados por justa causa.

Na Redecard, se identificada uma ocorrência, o caso segue para um dos colegiados de ética, passa pela avaliação da área competente e, posteriormente, é levado à Comissão de Ética para tomada de decisão. Caso haja comprovação de irregularidade, são adotadas medidas como: demissão sem ou por justa causa, processo criminal para os colaboradores, denúncia ao poder público e cessão de contratos para os fornecedores.

Em 2012, não foram encerradas ações judiciais sobre casos de corrupção contra o Itaú Unibanco ou nossos colaboradores.

SO5: Posição quanto a políticas públicas e participação na elaboração de políticas públicas e lobbies

Itaú Unibanco

Acompanhamos a atuação dos Poderes Legislativo e Executivo nas esferas federal, estadual e municipal e contribuímos com a discussão sobre projetos de lei que podem ter impactos significativos sobre os setores em que atuamos.

Nosso foco é promover o desenvolvimento do setor financeiro, um dos mais regulados no Brasil, contribuindo para a construção de políticas públicas. Por isso, promovemos diálogos com o poder público apoiados em consensos de discussões promovidas pelas entidades que reúnem outros representantes do mercado, como a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e o Conselho Nacional das Instituições Financeiras (CNF).

Instituto Unibanco

A capacidade de inserção no mercado de trabalho formal, o aumento na geração de renda e o desenvolvimento social são fatores que dependem do nível de escolaridade alcançado por cada indivíduo durante seu amadurecimento. Acreditamos que, quando investimos em educação, acometemos também na economia do nosso país por meio da formação de cidadãos mais conscientes do seu papel na sociedade e mais preparados para enfrentar os desafios impostos pelo mercado de trabalho.

O Instituto Unibanco direciona seu foco de sua atuação para a qualificação das escolas públicas de ensino médio, estratégico para a formação da juventude. Nossas iniciativas, assim como o desenvolvimento de novas tecnologias e metodologias educacionais, têm sido direcionadas para o atendimento da missão e da visão estratégica do Instituto. Nosso propósito é ser um agente de transformação para inspirar mudanças de atitude e promover o desenvolvimento da juventude do nosso país. Essa atuação está diretamente relacionada aos interesses estratégicos do Itaú Unibanco de trabalhar em parcerias com o poder público e investir na melhoria das políticas públicas.

Jovem de Futuro

O Instituto Unibanco firmou parceria com o Ministério de Educação (MEC), com a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE) e com cinco estados brasileiros para institucionalizar o Programa Jovem de Futuro como política pública federal e estadual. A expectativa é beneficiar alunos de ensino médio em 2.523 escolas do Brasil nos próximos cinco anos.

Em 2012, a tecnologia do programa foi transferida para as redes públicas de ensino médio. A passagem é resultado da integração do Ensino Médio Inovador – projeto do Ministério da Educação destinado a promover mudanças no ensino médio público do país – com o Projeto Jovem de Futuro.

O ministério repassa os recursos às escolas, e o Instituto Unibanco responde pelas formações e pelo apoio técnico. As secretarias estaduais executarão o projeto em suas escolas. Entre 2012 e 2018 (fim do último ciclo), serão beneficiados cerca de 2.030.000 jovens de 2.523 escolas do Brasil, ampliando o alcance e o desempenho das políticas públicas educacionais nos estados.

Fundação Itaú Social

A Fundação Itaú Social tem como missão formular, implantar e disseminar metodologias voltadas para a melhoria de políticas públicas na área educacional e para a avaliação de projetos sociais. Atua em parceria com os governos federal, estaduais e municipais.

Na área de Educação Integral, assessora a implantação de políticas de educação integral nas redes públicas. Atualmente, mantém parceria com a Secretaria de Educação de Goiás e com as Secretarias Municipais de Educação do Rio de Janeiro, de Belo Horizonte e de Maringá. Além disso, promove o Prêmio Itaú-Unicef e o Programa Jovens Urbanos.

Na área de Gestão Educacional, a Fundação Itaú Social atua na formação de gestores, técnicos e educadores, contribuindo para o aprimoramento das estruturas das secretarias e dos órgãos responsáveis pela gestão. São desenvolvidos programas como Melhoria da Educação no Município, que assessora lideranças de educação na formulação e na gestão de políticas públicas, e Excelência em Gestão Educacional, que promove estratégias de acompanhamento e apoio ao professor em sala de aula e envolvimento dos pais nos esforços de melhoria da aprendizagem.

O Programa Olimpíada da Língua Portuguesa – Escrevendo o Futuro busca, com base na formação de professores, a superação dos problemas na área de leitura e escrita das escolas públicas brasileiras. A iniciativa se tornou política pública do governo federal em 2008, uma parceria com o MEC. Praticamente todos (99%) os municípios brasileiros já foram envolvidos no programa, com participação de mais de 60 mil escolas públicas, 239 mil professores e 7 milhões de alunos.

O Itaú Unibanco originou a Avaliação Econômica de Projetos Sociais para medir o retorno e os impactos em suas áreas de negócio. Criada em parceria com a área de Controles de Riscos e Financeiro, a tecnologia é aplicada nos projetos desenvolvidos pela organização e tem sido replicada para órgãos do poder público e organizações do terceiro setor. Mais de 1.500 gestores públicos e de organizações sociais já participaram dos cursos oferecidos nessa área.

Itaú Cultural

Desde sua fundação, em 1987, o Itaú Cultural atua, por meio de suas ações e programas perenes, para contribuir com a formulação e implementação de políticas públicas no setor cultural. Seguindo com o objetivo de produzir, fomentar e divulgar as artes do Brasil, promove eventos e publica informações e estudos realizados em seus programas e atividades:

  • Programa Rumos Itaú Cultural: produção e difusão de trabalhos de artistas e pesquisadores por meio de editais públicos. Desde seu lançamento, há 15 anos, o programa contemplou diversos projetos, atingindo milhões de pessoas no país e no exterior. Em 2012, o programa lançou os editais de cinema e vídeo (que obteve 401 projetos inscritos), dança (545 inscrições) e o edital inédito de pesquisa em moda e design (108 inscrições).
  • Observatório Itaú Cultural: sistematiza dados sobre a cultura e a política cultural, realiza estudos e pesquisas, avalia práticas e promove intercâmbios entre pesquisadores e profissionais do Brasil e do exterior. Além disso, publica livros e uma revista com periodicidade semestral. No campo de formação, o Observatório mantém dois projetos: o curso de especialização em Gestão Cultural, realizado em parceria com a Universidade de Girona e a Cátedra Unesco de Políticas Culturais, que, desde 2009, já atingiu 170 alunos, e a Semana de Gestão, em parceria com Secretarias de Estado da Cultura ou outras instituições de ação pública, como o Sebrae. A semana acontece desde 2008 e já passou por diferentes capitais, totalizando 15 cidades. Ambos projetos acontecem com o intuito de aprimorar a formação de gestores culturais pelos diversos brasis.
  • Exposições e atividades culturais: são realizados gratuitamente em parceria com instituições culturais públicas e privadas em todo o país e no exterior. Ao todo, 273 atividades foram realizadas durante o ano, entre mostras, espetáculos cênicos, shows musicais, mostras audiovisuais, seminários, apresentações literárias, palestras, cursos e oficinas para professores. Em 2012, somente em sua sede, em São Paulo, a frequência de público alcançou mais de 250 mil pessoas, apontando um aumento de cerca de 28% em relação ao ano anterior. Desses visitantes, cerca de 27 mil consultaram a Midiateca do Instituto, que possui mais de 57 mil itens (entre vídeos, CDs, catálogos, livros) para serem consultados gratuitamente. Já o atendimento Educativo recebeu 44.430 visitas de alunos, professores, ONG´s e outros.

O Itaú Cultural gerencia o acervo de obras de arte do Itaú Unibanco, uma das maiores coleções corporativas de arte na América Latina, com aproximadamente 12 mil obras. Esse conjunto tem sido apresentado ao público por meio de exposições itinerantes no Brasil e no exterior, sem o incentivo da Lei Rouanet, concebidas e produzidas pelo Instituto. Nos dois últimos anos, cerca de 800 mil espectadores foram alcançados por esta iniciativa, que também engloba itinerâncias de exposições dos núcleos de expressão.

No campo virtual, houve a conclusão e o lançamento do novo site do Instituto, que abriga as enciclopédias de artes visuais, de teatro, de literatura brasileira e de arte e tecnologia e totalizou 12,2 milhões de acessos únicos no ano.

Saiba mais sobre nossas iniciativas em relação a políticas públicas

SO6: Valor total de contribuições financeiras e em espécies para partidos políticos, políticos ou instituições relacionadas, discriminadas por país

Lançamos, em 2012, a Política de Doações a Campanhas Políticas, disponível interna e externamente, com diretrizes que devem ser observadas no processo de doação a candidatos a cargos políticos. Todos os recursos devem ser direcionados aos candidatos. Os valores destinados seguem rigorosamente a legislação que regulamenta as doações para campanhas eleitorais e são aderentes à Lei Complementar nº 135, de 4 de junho de 2010, conhecida popularmente como Lei da Ficha Limpa. Esse ano, foram realizadas doações que somam o valor de aproximadamente R$ 10,2 milhões.

Doações a Partidos Políticos em 2012 – %
PSDB 25,3
PT 21,7
PMDB 14
DEM 6,7
PSB 5,7
Outros 26,5
Informações detalhadas disponíveis no site www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2012/prestacao-de-contas

Saiba mais sobre nossas contribuições financeiras a partidos políticos

SO7: Número total de ações judiciais por concorrência desleal, práticas de truste e monopólio e seus resultados

Em 2012, não houve casos de ações judiciais por concorrência desleal, práticas de truste e monopólio.

No entanto, a Redecard dispõe de um processo administrativo – em trâmite – instaurado pela Secretaria de Direito Econômico (SDE) em 2009 para apurar denúncias de supostas infrações à ordem econômica, após representação da Associação Brasileira dos Provedores de Acesso, Serviços e Informações da Rede de Internet (Abranet). No processo, a Abranet aponta a inclusão de cláusulas e condições comerciais anticoncorrenciais em contrato de credenciamento proposto pela Redecard às empresas intermediadoras (associadas da Abranet). A empresa apresentou sua defesa em agosto de 2009, refutando as alegações.

SO8: Valor monetário de multas significativas e número total de sanções não monetárias resultantes da não conformidade com leis e regulamentos

Não ocorreram, nas esferas administrativa, judicial ou de arbitragem multas significativas ou sanções não monetárias em valor igual ou superior a R$ 500 mil.

SO9: Operações com impactos negativos significativos potenciais ou reais nas comunidades locais

Não realizamos o mapeamento por considerar que, por natureza, porte e localização – majoritariamente urbana – de nossas operações, os impactos negativos nas comunidades locais são pouco significativos.

SO10: Medidas de prevenção e mitigação implementadas em operações com impactos negativos significativos potenciais ou reais em comunidades locais

Não adotamos medidas de prevenção e mitigação por considerar que, por natureza, porte e localização – majoritariamente urbana – de nossas operações, os impactos negativos nas comunidades locais são pouco significativos.